Jogar cansa, viajar cansa… reclamar também

Leia o post original por Mion

A verdade com ou sem dor

Nos noticiários o assunto é Carnava  e os desfiles de escola de samba, não poderia ser de outra maneira. O que me chamou atenção, a disposição dos sambistas. Termina o desfile após 1 hora e meia, saem pulando e dançando. No futebol não é bem assim, criou-se a cultura do desgaste exagerado. Após 30 dias de férias, sendo que sempre jogando peladas, os jogadores retornam lamentando a falta de ritmo e condição física.

Estamos no final de fevereiro, ou seja, quase 45 dias depois de retornarem das merecidas férias e o discurso continua exatamente igual: falta de ritmo e condição física. Muitos são poupados de jogos, sentem dores e cansam. As viagens desgastam e cansam. Em minha opinião é falta de consciência profissional. O tal do samba, cervejinha e baladas incrementam os meses de janeiro e fevereiro. Assim não consegue entrar em forma, não tem corpo que aguente. Se um atleta para 30 dias, mais 30 dias de treinamentos e jogos já deveriam bastar para recuperar pelo menos 80% da forma ideal. Isso se levasse uma vida de atleta exemplar. Fora as baladas, há exagero na alimentação e outros descuidos.

Tenho certeza que quando as águas de março chegarem, boa parte dos “atletas” irá manter o discurso dizendo que ainda falta mais um pouco para entrar em forma, o que acontecerá lá por abril ou maio. Em forma, seis meses depois, em outubro, começará o discurso de sentir cansaço, desgaste, afinal a temporada está terminando. O mais chato de tudo, é a complacência da imprensa: narradores, comentaristas e repórteres corroboram, a cada erro sempre ressaltam: é começo de temporada. No fundo o que cansa mesmo é ouvir tanta reclamação do cansaço de atletas que deveriam se envergonhar de tanta choradeira e desculpas esfarrapadas.