Vitória

Leia o post original por Pedro Ernesto

Cheguei a escrever que o Grêmio era favorito contra o Bahia por entender que era muito melhor que o time de Paulo Roberto Falcão. O jogo da noite passada, aqui em Salvador, só confirmou minhas previsões.
O Tricolor chegou a ter 14 escanteios, fez dois gols e só tomou o gol num acidente de percurso. Construiu uma vitória muito importante e uma vantagem amazônica para o jogo de volta na próxima quinta-feira no Estádio Olímpico. Agora, o Grêmio é muito mais favorito do que foi antes do jogo aqui de Salvador.

Surpresas

A tarde de ontem foi de surpresas no Beira-Rio. Tinga sai do Internacional e vai para o Cruzeiro viver seu encerramento de carreira. Ele tinha mais seis meses de contrato com o Colorado.
Na Raposa, provavelmente por solicitação de Celso Roth, conseguiu
um contrato de mais três anos. Uma sorte grande, uma loteria. Um jogador de 34 anos já se prepara para abandonar o futebol.
Tinga achou uma sobrevida em um grande clube, com um treinador que
ele conhece e com a importante
opinião de Élio Carravetta de que pode jogar até os 40. Um grande negócio para o jogador, sem maiores prejuízos para o grupo se Sandro Silva for mantido no clube.

Futebol

Luís Anápio Gomes vai cuidar de seus negócios e da sua empresa e sai da vice-presidência de futebol. A partir de agora, ele será apenas o vice-presidente eleito do clube, mas sem os compromissos estressantes do vestiário.
Luciano Davi, homem de confiança e muito próximo do presidente Giovanni Luigi, assume o futebol do clube. Não tem experiência de vestiário, mas isso não pode servir de impeditivo porque uma hora as pessoas têm que começar. E muitos começam em alto estilo.

Você sabia?

* Que o Inter buscou a contratação do lateral Tony e, segundo diretores do Grêmio, teria oferecido três vezes mais?
* Que todos no Inter estão muito preocupados com a repetição de lesões musculares de D’Alessandro?
* Que o Grêmio busca um nome de expressão mundial para jogar com Zé Roberto?
* Que Diego Souza não interessa, pois seus direitos federativos custam R$ 18 milhões?