Seleção

Leia o post original por Pedro Ernesto

Jogo decisivo contra Honduras, às 13h, pelas quartas de final, partida eliminatória. Amplo favoritismo brasileiro. Mano Menezes tem todos seus jogadores à disposição. Os 100% de aproveitamento da fase anterior dão a certeza de que o time está embalado para conseguir a histórica medalha de ouro.

Espero que a seleção olímpica tenha neste sábado um comportamento mais competitivo. O técnico também quer isso. Deixa claro nas suas entrevistas. Mas, como existe um cultura do individualismo, esse é o próximo desafio para Mano. Mas acho que o Brasil passa para a semifinal.


Jogo decisivo

Os colorados não têm motivos fortes para se queixar do desempenho do time no Brasileirão. Mesmo tendo muitos e importantes desfalques, o Inter está a apenas um ponto do quarto colocado, ou seja, muito perto da Libertadores.

O jogo deste sábado contra o Palmeiras ainda será com desfalques cruciais. Depois dele, o time tem dois jogos sucessivos no Beira-Rio e contra adversários muito mais fracos. Neste caso, pode até, mesmo com desfalques, fazer nove pontos em três jogos.

Ganhar do Palmeiras nem é tão difícil.

Completo

Vanderlei Luxemburgo deve viver momentos de absoluta tranquilidade. Poderá escalar contra o Bahia, dentro de casa, todo o seu time. Não é sempre que um treinador tem essa facilidade. O Bahia, agora treinado por Caio Junior, é um time muito menor do que o Grêmio, mas sempre é bom ter cuidado.

Foi o Bahia que derrotou o Palmeiras por 2 a 0 em Barueri, dias atrás. O Guerrinha diz, com propriedade, que não há jogo jogado. O futebol nivelou todos. As diferenças entre o campeão e o últimos não são grandes.

Você sabia?

– Que o comportamento de Jajá não estaria agradando ao treinador Fernandão?

– Que Bolatti ficou em Porto Alegre enquanto o time começa o jogo com três volantes e Josimar na reserva?

– Que ninguém entende o mistério deste afastamento total de Bolatti, que agora deixa de ser de Dorival para ser de Fernandão?

– Que existe uma decepção total entre os brasileiros pelas poucas medalhas?