Palmeiras paga comissão a irmão de Barcos em operação para dar aumento a argentino, contra vontade de diretor financeiro

Leia o post original por Perrone

Barcos renovou contrato para ter aumento

Para renovar o contrato e dar aumento a Barcos, o Palmeiras se comprometeu a pagar comissão ao irmão e agente do argentino, David, contra a vontade do departamento financeiro. O caso gera revolta entre conselheiros e até diretores de Arnaldo Tirone.

A indignação acontece principalmente porque o grupo que elegeu o atual presidente criticava o que chamava de excesso de comissões pagas pela gestão anterior. Porém, a prática não diminuiu com o presidente que deixa o cargo na segunda.

No caso específico de Barcos, o pagamento é considerado desnecessário não só por se tratar de um atleta que já estava no clube. Mas principalmente porque o contrato não estava no fim e a renovação foi feita apenas para aumentar o salário do jogador. Ele recebia cerca R$ 200 mil e passou a ganhar pelo menos R$ 400 mil. Tirone chegou a dizer numa reunião com conselheiros que o valor inicial era baixo e que estudava um reajuste.

Antônio Henrique Silva, que cuida das finanças palmeirenses, afirmou que quando começou a tratar da renovação deixou claro que não pagaria comissão para o irmão de Barcos. Mas não sabe como terminou a operação, concluída por Tirone, segundo ele. Por sua vez, o presidente não atendeu aos telefonemas do blog.

Enquanto estava na oposição, o grupo de Tirone, que está em fim de mandato, bombardeou Salvador Hugo Palaia, ex-presidente interino. Isso porque ele pagou comissão a um agente para renovar contrato com Deola, que já estava no Palestra Itália. O entendimento é de que nesses casos  o clube deve deixar o pagamento ao agente para o jogador.

Por meio de sua assessoria de imprensa, Barcos afirmou que é normal empresários ganharem comissão. E que o fato de ser seu irmão, não desqualifica David como agente.

A comissão será paga em parcelas, mas o blog não teve acesso ao valor.