Mineirão

Leia o post original por Pedro Ernesto

Já vimos este filme. Os problemas enfrentados no Mineirão em tudo se parecem com o que se viu na Arena do Grêmio. Tem política, tem ansiedade pela inauguração, tem de tudo. A favor das empresas administradoras é que um estádio de futebol, com suas dimensões gigantescas, precisa de um processo pela repetição de eventos para que tudo funcione bem.

Não vá ninguém esperar que na primeira partida de um estádio inaugurado tudo vai estar funcionando bem. Aliás, a Fifa, sabiamente, realiza a Copa das Confederações para testar tudo isso. Claro que no Brasil se improvisa mais do que em outros países, mas devo imaginar que um estádio novo estará azeitado depois de dez ou 12 eventos. Antes disso precisa ter paciência.

Construção

Imagine você construindo uma casa com 100m² para morar. Com ela pronta, quando você se muda vai se dar conta que tem uma série de coisas que não estão funcionando bem. A descarga do banheiro, a campainha da casa, uma janela que não fecha e assim por diante.

Agora, imagine um estádio de futebol com seu tamanho gigantesco. Devem sobrar pequenos problemas. Se ainda adicionarmos a pressa da sua inauguração, só pode dar no que deu.

Seleção

Estou muito curioso para assistir à Seleção Brasileira amanhã à tarde, contra a Inglaterra. Luiz Felipe Scolari não vai fazer milagres, mas seu estilo competitivo pode mudar o time que parecia muito tímido nas mãos de Mano Menezes.

Não somos hoje a melhor seleção do mundo, mas para time ruim não serve. E o que é ainda melhor: Felipão escolheu adversários de primeira linha. Jogar contra Gabão e outros menos votados não leva a nada.

Você sabia?

* Que Miralles faz no Santos os gols que não conseguiu fazer no Grêmio?

* Que o presidente Fábio Koff estaria garantindo duas contratações importantes até dia 14 quando o Grêmio estreia na fase de grupos da Libertadores?

* Que o governador mineiro vai responsabilizar a empresa que administra o Mineirão pelos erros cometidos no domingo passado?