Importante

Leia o post original por Pedro Ernesto

Não importa a arbitragem. Ela erra e acerta, intencionalmente ou não. Faz parte do jogo. Com seus acertos e seus erros.
O importante é que um time saiba vencer o adversário e passar por cima de eventuais prejuízos que a arbitragem possa causar. Foi o que fez o Inter na quinta-feira. Primeiro, porque acabou com o Corinthians, que não deu um chute a gol durante toda a partida. Segundo, porque foi atrás e buscou seu gol, conquistando a vitória.
Dirá o torcedor que se sente injustiçado, que o árbitro Paulo Henrique Godoy Bezerra era ladrão. Não é o que mais me interessa porque, muitas vezes, os que hoje choram arbitragem se divertem amanhã com erros que favorecem. A banca paga e recebe.

Zé Roberto

Renato Portaluppi não rasga dinheiro.
Por isso, ele deve anunciar que Zé Roberto está escalado para jogar contra a Portuguesa. Um jogador de grande capacidade técnica, mas que também sabe ser volante, se for o caso, porque por muito tempo atuou nesse setor.
Renato sabe perfeitamente que a Lusa será uma grande retranca contra o Grêmio. Nada melhor do que jogadores habilidosos para tentar buscar uma vitória.

Rigor

Está na hora de as autoridades lidarem com mais rigor contra torcidas organizadas. São elas que brigam e promovem distúrbios nos estádios de futebol.
Na realidade, são gangues que se mascaram de torcedores para enfrentar inimigos. Muitas vezes, para ganhar benefícios de diretores de clubes, que não medem a estupidez que estão fazendo. Outra, a droga está no meio.
Não dá mais para ver isso acontecer no Brasil.

É demaais!

O STJD da CBF puniu com quatro jogos sem torcida Vasco e Corinthians. Em dois deles, sem nenhuma. Em outros dois, somente com a torcida adversária. A administração do Mané Garrincha já decidiu punir por dois anos essas duas torcidas pelas brigas naquele estádio.
Por medida de prevenção, o Ministério Público do Rio já puniu a Fiel por 90 dias no Maracanã. São providências que chegam no momento certo porque torcedores que passaram meses mofando na cadeia, na Bolívia, são os mesmos que agora comandam briga entre torcedores.