Empate

Leia o post original por Pedro Ernesto

Imagine, meu amigo leitor, um resultado que não interessa a ninguém. Foi o 0 a 0 de ontem entre Inter e Santos, na Vila Belmiro. O Inter poderia ter matado o jogo com Leandro Damião, que perdeu dois gols incríveis, um no primeiro tempo e outro no segundo. Não foi uma má partida do time de Clemer. Mas foi um ressultado que não leva a lugar algum. Isoladamente, na Vila Belmiro, o empate seria bom. Mas pela campanha colorada e a distância do G4, esse ponto pouco representa.
Agora, é o Gre-Nal 398. Mais do que os pontos, vale a rivalidade. Bom para o Inter que nenhum dos pendurados levou o terceiro cartão amarelo. Clemer terá força total para o clássico do Centenário.

Barcos

Depois de nove jogos ou 924 minutos sem marcar gols, o centroavante do Grêmio foi responsável
direto por mais uma vitória tricolor neste Brasileirão. Mas, para que seu gol pudesse acontecer, foi necessário que o técnico Renato Portaluppi colocasse um armador e retirasse um zagueiro. Foi o uruguaio Maxi Rodríguez que fez o grande passe para que o Pirata pudesse colocar a bola na rede.
O Tricolor mostrou que é melhor do que o Corinthians e que tem tudo para passar à semifinal da Copa do Brasil na próxima quarta-feira. Antes, porém, tem o Gre-Nal de domingo, lá no Estádio Centenário.

Dívidas

Se discute atualmente no Congresso a dívida dos clubes brasileiros com o governo. O valor supera a fantástica soma de R$ 5 bilhões. Sou totalmente contra a anistia, que alguns clubes têm o peito de pedir. De alguma forma, eles têm que pagar.
O governo federal tentou resolveu esse problema com a Timemania, só que essa forma de aposta não pegou. Foi um fracasso, não adiantou nada.
Agora surge uma outra proposta que teria sido do deputado federal gaúcho Jeronimo Goergen (PP), da qual eu gostei muito. Que nas cotas pagas pelas tevês, antes do dinheiro chegar aos cofres do clube, parte do valor abateria dívidas dos clubes. Acho que seria uma boa maneira de diminuir esse passivo que é tão grande.

É demaais!

A seleção uruguaia precisará ainda passar por um mata-mata se quiser vir à Copa de 2014. Será a terceira repescagem dos charruas. Eles já estão escolados.
Posso prever a presença da Celeste aqui no Brasil no ano que vem. O adversário na repescagem será a Jordânia, que não tem tradição no futebol. Espero mais: que os uruguaios joguem no
Beira-Rio na Copa. Nossa cidade ficaria cheia desses queridos vizinhos.