Pedras contra delegações esportivas. No Brasil, parecem pétalas…

Leia o post original por Wanderley Nogueira

Onibus

Tem sido frequentes, infelizmente, ataques aos ônibus que levam delegações aos estádios.

Pedras e latas de cerveja são atiradas contra o veículo. Resultado: vidros quebrados, pessoas feridas e, naquele momento, um clima de terror entre passageiros, atletas e comissão técnica.
E, óbvio, não acontece nada com os agressores. Minutos depois, já estão nas arquibancadas e quase sempre arranjando mais confusão e ferimentos. Para as autoridades é como se os marginais estivessem atirando pétalas e papéis picados…
Perguntamos àqueles que nos acompanham e que moram no exterior o que acontece com um torcedor que atira pedras e latas de bebidas em ônibus de delegações esportivas.
Leiam o que informou a ouvinte da Jovem Pan, Regina Maria Edmaier Silveira, que mora na Alemanha.
“Wanderley, com toda sinceridade estou aqui 16 anos NUNCA ouvi uma notícia igual a esta, mas com certeza se acontecer isso vai para prisão! E mais: aqui na prisão não tem esta historinha de visitas, saidinhas, levar presentinho, nada disso! Quando muito de seis em seis meses alguém visita com aquele vidro de proteção! Aqui ninguém nem ousa enfrentar um policial! Não existe isso! Você percebe a falha no Brasil?”
“Aqui eu vou aos treinos do Bayern colada ao gramado e depois do treino os jogadores dão autógrafos para o pessoal, tiram fotos… É um prazer gostar de futebol aqui não?”
Acompanhem o que disse o ouvinte da Jovem Pan, Sergio Lima, que mora em Orlando, nos Estados Unidos: “a polícia americana hoje é tão armada quanto o exército e a lei não dá descontos a quem não merece. Delinquiu, vai pra cadeia”.