Quando e Como?

Leia o post original por Gaciba

Em primeiro lugar, perdão! A rotina de viagens, a reta final dos campeonatos e alguns afazeres profissionais forçaram uma longa ausência de posts em nosso espaço da rede. Mas, não nos desligamos nunca das particularidades do apito pelo Brasil e pelo mundo.

Ontem (22.11.13), por exemplo, estava assistindo o jogo entre Figueirense e ASA pela série B do Brasileirão e um gol primeiramente confirmado foi anulado. Uma coisa que parece simples para quem vê o jogo pode ser bem complexa para quem trabalha nela!

Quando e como “voltar atrás” nas decisões?

Talvez soe estranho para quem não viveu o mundo da arbitragem a decisão tomada nesta jogada:

Você compreende o que ocorreu? Bom, mude seu foco. Visualize com a câmera aberta a atitude do assistente logo que a bola entra: Ele fica parado e logo em seguida, ao ver o árbitro apontar o centro do campo corre para o meio. Aí está o equívoco! Não tenho bola de cristal mas, pelo tempo em que estive lá, não é difícil deduzir o que aconteceu.

O assistente não vê a “origem” da jogada! Vimos o jogo “por cima” e fica fácil saber que o último passe (o de cabeça) é feito por um atacante. Mas, no nível do gramado, provavelmente o bandeira “perdeu” esta imagem pelo acúmulo de jogadores que saltaram para a bola. Ele tinha a informação de que, claramente, havia um atleta do Figueira em posição de impedimento mas, caso a bola tivesse vindo do zagueiro (foi o que ele pensou que havia acontecido na hora) o gol deveria ser validado.

Nesta situação, que ocorre com uma boa frequência nos campos, o procedimento correto do assistente é ficar parado e, já que está usando o comunicador falar “posição” para chamar a atenção do árbitro antes de confirmar o gol. Com a palavra-chave o árbitro sabe que alguém está em posição de impedimento mas para ele (o bandeira) está “faltando” um pedaço da informação.

Creio que após correr para o meio (esse sim, seu erro) o assistente deve ter indagado ao árbitro: “Quem tocou na bola? Ataque ou defesa?” Ao receber a informação de que fora um atacante, teve a certeza de que o gol deveria ser anulado.

Respondendo as perguntas que fiz acima; quando voltar atrás numa decisão? Sempre que tivermos conficção que erramos. Como? Com muito planejamento anterior a partida, treinamento e experiência.

Caso os árbitros fossem “verdadeiramente” profissionais poderiam treinar mais e estas ocorrências iriam diminuir sem dúvidas. Ainda, num mundo ideal (a cultura do futebol não aceita isso) o assistente deveria ficar parado, chamar o seu árbitro, explicar o que ocorreu e, em conjunto tomarem a decisão correta para eles naquele momento.

Mais ideal ainda?  Para tudo, vai na TV, olha a jogada e confirma ou não o gol! Estou pedindo demais? Para FIFA , sim!

 Cada vez mais me convenço que O JOGO QUE VIMOS e muito diferente DO JOGO QUE FIZEMOS!