Uma única opção

Leia o post original por JC

Por conta das circunstâncias o post de hoje será paradoxal. Se por um lado a situação do Vasco é complicadíssima, por outro, escrever sobre a partida contra o Cruzeiro é muito simples. Poderia resumir tudo em uma só frase: para nós, não há outro resultado aceitável além da vitória.

Mas como ficaria feio escrever apenas uma linha, é preciso falar um pouco do nosso adversário. O que, convenhamos, também é fácil. Já campeã, a equipe mineira é a única – além do Náutico, por motivos opostos – que não precisa fazer mais nada no campeonato. Mesmo a ambição de bater o recorde de pontos na competição, que pertence à campanha sãopaulina de 2006, pode ser alcançada nas rodadas que faltam. Até por conta disso, Marcelo Oliveira resolveu fazer experiências e trazer para o Rio uma equipe recheada de reservas. Essa aparente quebrada de galho tem seu lado bom, mas também nos traz riscos: certamente quem não tem chance entre os titulares cruzeirenses devem querer mostrar serviço. E com um elenco tão qualificado, dificilmente teremos um jogo molezinha.

Até porque, na fase em que o Vasco anda, não existe adversário fácil. Com a defesa que temos e com um ataque que parou de funcionar, nossas limitações têm nos trazido mais problemas que nossos oponentes. Adilson Batista parece ter aprendido a lição depois do bisonho desempenho ofensivo do time contra os Gambás e resolveu armar uma equipe com maiores chances de criar jogadas. O 3-5-2 sem armadores mudou para um 4-3-3, com a saída do Renato Silva e a entrada do garoto Thalles. Ainda que o meio não tenha um armador de ofício, Marlone (jogando um pouco mais recuado) e Pedro Ken (se desdobrando entre a marcação e a criação) podem fazer o time mais efetivo do meio pra frente. O que, todos sabem, é desesperadamente necessário hoje.

De mole em mole o Vasco chega às últimas rodadas do Brasileirão precisando de 100% de aproveitamento para não depender de ninguém, sendo obrigado a ter sua primeira sequência de três vitórias na competição. É hora de mostrar a força que o time deixou de mostrar em praticamente todo o campeonato. E como mesmo os três pontos não nos tiram do Z4 e uma derrota pode, na prática, nos rebaixar já nessa rodada, vencer é nossa única opção.

VASCO X CRUZEIRO
Alessandro; Fagner, Luan, Cris e Yotún; Abuda, Guiñazu e Pedro Ken; Marlone, Edmilson e Thalles.Rafael; Ceará, Léo, Paulão e Egídio; Nilton e Lucas Silva; Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart, Willian e Vinícius Araújo.
Técnico: Adilson Batista.Técnico: Marcelo Oliveira.
Estádio: Arena Maracanã. Data: 23/11/2013. Horário: 19h30. Árbitro: Marcos Andre Gomes da Penha (ES).  Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Anderson Antonio Zanotti  (ES).
  O SporTv  transmite para todo Brasil, exceto RJ. O Canal Premiere transmite para seus assinantes de todo o Brasil no sistema Pay-per-view.
O GLOBOESPORTE.COM acompanha o confronto em Tempo Real, com vídeos.

***

Até ontem, menos de 25 mil ingressos foram vendidos. Muita gente deve deixar pra comprar na hora, outras tanta já não acreditam na reação do time. Mas vale lembrar que nesse momento, a força da torcida é importantíssima para empurrar a equipe. Ninguém precisa esquecer as críticas a tudo o que acontece na Colina, mas a briga para permanecer na elite deve ser prioridade. Quem puder ir apoiar a equipe em campo, não pode deixar de fazê-lo. Basta lembrar que o VASCO é mais importante que qualquer coisa.

***

Caminhão derrubando muro em São Januário? Pra acabar com essa fase do clube, só mesmo uma reza forte ou um banho de descarrego!

***

Quem quiser ler mais a respeito dos temas desse post podem visitar a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e acessar os links das matérias que tratam desses assuntos. O link também está no meu twitter: @jc_CRVG.