Gordinho X chinelinho. Acorda Felipão, aposta no Walter

Leia o post original por Mion

 

Walter já vestiu a 9 na seleção sub-20. No Flu poderá colocar Fred no banco. Só falta Felipão insistir mesmo assim.

Walter já vestiu a 9 na seleção sub-20. No Flu poderá colocar Fred no banco. Só falta Felipão insistir mesmo assim.

Há alguns meses externo o meu pensamento: entre Fred e Walter sou mais o gordinho. Inclusive, se estivessem em plena forma. Respeito a estrela e o poder de finalização do atual 9 da seleção, entretanto os dois estão em, patamares diferentes. Enquanto Fred é excelente centroavante, Walter atingiu a condição de diferenciado. Não precisa ser expert em futebol para constatar o toque mais refinado, a inteligência e capacidade não só de fazer gols, também na armação de jogadas. Enfim, completo pode atuar de várias maneiras proporcionando variação tática ao treinador.

Fred possui colocação impressionante dentro da área e faro apuradíssimo para fazer gols. Paramos por aí, ainda a seu favor experiência, em compensação não tem a força física do jovem Walter. No jogo contra o Flamengo, em apenas 15 minutos (entrou em campo aos 30 minutos do segundo tempo) quebrou todas as teses de incertezas sobre a sua contratação: colocavam dúvida se renderia o mesmo ao defender um time grande do futebol brasileiro, estreou no clássico Fla-Flu como se estivesse enfrentando o Friburguense, fez um gol, botou bola na trave e ainda melhorou a qualidade na posse de bola. Fred em jogos anteriores não somou nada. Se a questão for ritmo e forma física, os dois estão fora do ideal.

Felipão acredita na repetição da épica conquista de 2002. Pode pensar que Ronaldo também estava lesionado e chegou na Copa como incógnita, só que era Ronaldo, Fred teria que nascer um milhão de vezes para chegar ao Fenômeno, sem esquecer que na época a lesão era gravíssima, mas Ronaldo tinha apenas 25 anos, já Fred caminha para 31 anos. Scolari vai apostar num jogador goleador, fraco clinicamente e com mais de 30 para encarar uma Copa do Mundo quando enfrentará zagueiros poderosos física e tecnicamente.

Tudo bem que Felipão queira criar o mesmo clima de 2002, porém escolheu alguns personagens fora deste contexto. Fred o principal, assim como Júlio César no gol. Na época tinha Marcos, Dida e Rogério Ceni, três goleiros diferenciados, em forma e não traziam nos ombros a sina de falhar em momentos decisivos. Por sinal não seria nenhum absurdo se repetisse Dida e Ceni pelo que estão jogando. Ronaldo é o segundo maior artilheiro da seleção e na época estava entre os melhores do mundo. Já Fred não vingou na Europa e hoje não passa do 31º goleador da seleção. Se for para arriscar vale muito mais apostar num garoto de 24 anos talentoso e que já mostrou ser tão decisivo quanto o atual dono da 9.