Faltou luz? E agora?

Leia o post original por Gaciba

Talvez tenhamos visto um recorde mundial de espera pela luz no estádio do Canindé ontem a noite (11.03.2014) na partida válida pela  13ª rodada do campeonato Paulista entre as equipes da Portuguesa e Bragantino.

Primeiro quem manda! Nestas situações o grande chefe das decisões é o REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO! Nele deverá constar claramente o tempo que o árbitro deve esperar para que problemas como falta de luz, mau tempo, falta de garantias ou segurança ou qualquer outro que paralisar a partida seja solucionado.

No campeonato brasileiro, é delegado ao árbitro aguardar 30 minutos para solução destes problemas e mais trinta caso veja que a solução possa ser encontrada. Nem por isso, com 1 hora “cravada” de paralisação o árbitro deverá encerrar o jogo. Acontece, por exemplo de um árbitro ser informado quando já há 40 minutos de paralisação que, em meia hora, no máximo, o problema será solicitado. Então, podemos aguardar mais um pouco por uma questão de bom senso e respeito a espectadores locais ou telespectadores virtuais da partida.

O regulamento geral do campeonato paulista (há um específico que trata de fórmulas, pontuação, critérios de desempate etc.) deste ano, prevê no seu CAPÍTULO V, ARTIGO 26, PARÁGRAFO 3º que:

– O árbitro deverá aguardar por, no mínimo, 30 (trinta) minutos a solução dos problemas que deram origem à paralisação da partida e se tal não acontecer determinará a sua suspensão ou encerramento antecipado.

Ou seja, não há previsto um tempo máximo; o que, na frieza da lei, da direito ao árbitro em esperar o quanto quiser para recomeçar o jogo. Mas, 2 horas e 20 minutos? Nossa! Foi demais!

Fico pensando no torcedor que estava nas arquibancadas, no escuro, aguardando a decisão. Independente da série de acontecimentos; não tenho dúvidas em afirmar que foi tempo demasiado de espera; o que causou uma justificada irritação  de todos envolvidos. Neste caso, o “bom senso” mandaria “bater o martelo” dando um prazo limite para solução do problema bem antes do que foi dado. Duas horas e vinte minutos de espera é realmente um excesso!

Como curiosidade, o regulamento prevê que, nestes casos, o restante da partida deve ser disputada no dia posterior as 15:00 horas com cartões e placar mantidos. Ou seja, hoje (12.03.2014), Portuguesa e Bragantino retornaram a campo e jogaram o segundo tempo partindo do placar de 1×0 para Portuguesa. O jogo foi encerrado com a vitória da Lusa pelo placar de 3×1.

Caso a partida fosse paralisada após os trinta minutos do segundo tempo, o regulamento manda que o placar seja mantido e a partida seja dada como encerrada desde que nenhuma equipe tenha dado motivo a paralisação.

“Apitar é a arte do pensar!” Armando Marques