Entendendo a “língua” dos bandeiras

Leia o post original por Gaciba

Quando um árbitro levanta o braço você sabe que é “dois toques”; quando ele aponta a marca do pênalti, você ri ou chora; quando ele ergue os dois braços na horizontal na frente do corpo, vantagem aplicada, mas; você sabe quais são os “sinais” dos assistentes?

Bandeira erguida, impedimento; lateral, aponta o lado. Que tal aprofundar seus conhecimentos?

1. Impedimento: Você sabia que esta é uma marcação em dois tempos? O tempo 1 é de conhecimento universal. Quando você vê a bandeirinha erguida já sabe que há um atleta impedido. Mas, e depois; você já observou o que o assistente faz?

Após o árbitro apitar o assistente, ou bandeira, deve indicar em que faixa do campo o jogador foi punido estava no momento do lançamento.

Se o atleta estava mais perto do centro do campo, ele baixa a bandeira a frente do corpo num ângulo de 90 graus com o gramado conforme o vídeo abaixo:

Se o atleta impedido está na região mais distante do bandeira (diagonal do árbitro) ele, após o apito faz um ângulo de 135 graus em relação ao gramado deixando o braço cair a frente do corpo conforme este vídeo:

Se o impedimento ocorreu próximo ao assistente ele, após o apito faz um ângulo de 45 graus também baixando a bandeira a frente do corpo. Um pouco mais difícil mas creio que podemos visualizar no segundo 13 neste vídeo abaixo:

2. Marcação de faltas: Também marcada em dois tempos. O tempo 1 é diferente do impedimento pelo fato do assistente erguer seu instrumento de trabalho e fazê-lo tremular rapidamente. Outro detalhe a observar é que você pode saber, já neste tempo para quem será marcada a falta. Há uma orientação que, quando a falta for marcada a favor do ataque o braço direito do bandeira que se ergue. Quando a favor da defesa a bandeira erguida estará na mão esquerda. Isso dá-se por motivos óbvios do segundo tempo da marcação onde, após o apito do árbitro o assistente aponta lateralmente e com um ângulo de 90 graus em relação ao solo a direção do ataque da equipe favorecida. Veja o vídeo:

3. Pênalti: Como um bandeira marca pênalti? Essa infração é uma falta punida com tiro livre direto como todas outras mas, o bandeira precisa de uma diferenciação para “avisar” o árbitro que é uma “penalidade máxima” e não uma falta qualquer fora da área; por este motivo o tempo 1 é o mesmo (ergue a bandeira com o braço direito e tremula seu instrumento) mas, após o apito do árbitro o assistente, ao invés de somente indicar o lado, deve correr rapidamente em direção a linha de fundo. Quando não há adicional na partida ela vai até a junção da linha da grande área com a linha de fundo (seu local na cobrança do pênalti durante a partida) e quando há adicional vai até sua bandeira de canto.

4. Laterais: Movimento mais óbvio e conhecido. Percebam que a diferença em relação as faltas é o não balançar do instrumento acima da cabeça. O Bandeirinha ergue seu instrumento para informar que a bola está fora de jogo e depois aponta para o lado que será o próximo movimento da partida. Quer saber para quem ele vai dar a bola antes dele apontar o braço? Observe se é o braço esquerdo ou direito que está erguido. Braço direito, pró-ataque, braço esquerdo, bola para defesa. Como o assistente é um membro informativo da equipe de arbitragem, esta sinalização dá-se desta forma pois o árbitro pode “corrigir” sua marcação antes dele indicar o lado se tiver certeza que a bola pertence a outra equipe diferente de sua informação (já passada no primeiro tempo).

Obs: Quando a bola sai claramente pela linha lateral o assistente não realiza o tempo 1 e mostra diretamente há quem pertence o lateral.

Há outros sinais, em lances específicos que poderemos voltar a falar caso você tenha alguma curiosidade; mas estes são os mais usuais e, a partir de agora; caso você ainda não possuísse este conhecimento, você poderá “prever” o próximo passo da partida ao ver um bandeira sinalizar. Boa observação!