Jogo relâmpago

Leia o post original por JC

Para quem não esperava surpresas numa partida contra o lanterna da competição, Reginaldo acabou fazendo com que o jogo entrasse para a história do clube: balançando as redes antes de se completarem oito segundos de bola rolando, o atacante deve ter feito o gol mais rápido da história do Vasco no Estadual (e talvez em qualquer competição).

Isso já seria o bastante para desmontar de vez a fraca equipe do Duque de Caxias, mas pra piorar tudo para o time da Baixada, ainda marcamos o segundo 14 minutos depois, após Everton Costa receber bom passe de Aranda e chutar sem dar chances ao goleiro caxiense.

E se a regra não obrigasse a continuação da partida até seus 90 minutos regulamentares, o juizão bem que poderia dar por encerrado o jogo. Nem o Caxias conseguiria fazer muita coisa, dada sua incapacidade, nem ao Vasco adiantaria fazer mais ou menos gols (ou mesmo pontos, já que os resultados da rodada não permitiriam qualquer modificação na classificação final). Teria sido um jogo como o gol do Reginaldo: relâmpago, o que pouparia a todos tempo e aos jogadores, energia para as semifinais com os tricoletes.

Mas como a partida teve que continuar, o único que poderia ter algum interesse a mais no jogo fez a sua parte. Edmilson, ainda na briga pela artilharia da competição, marcou mais dois, chegou ao décimo gol e segue como maior goleador do Estadual.

No mais, foi como eu disse ontem. O Duque de Caxias era um compromisso de tabela e só. Desde que a classificação foi assegurada, não havia como pensar em nada além das semifinais. O primeiro turno, que acabou ontem oficialmente, já era passado há um bom tempo.

***

As atuações…

Martin Silva – poderiam ter cobrado o ingresso do goleiro, que fez pouco mais que qualquer espectador no estádio.

André Rocha – outro que não teve muito trabalho, já que se ateve mais à marcação e o adversário não lhe exigiu muito. Quando foi ao apoio não teve precisão nos cruzamentos e ainda perdeu um gol feito, na pequena área.

Luan –  sobrou em campo, se saindo melhor em praticamente todos os lances e ainda mostrando categoria em alguns momentos. Chegou a fazer uma boa assistência em lance de escanteio, desperdiçada pelo André Rocha.

Rodrigo – com a disposição e seriedade de sempre, não teve problemas com o ataque adversário.

Marlon – com bastante liberdade para ir ao ataque e muito presença no apoio. Exatamente por isso deixou muitos espaços na sua lateral, e foi por ali que o Duque de Caxias criou todas as suas jogadas. Contra um adversário mais forte, poderíamos ter complicações.

Aranda – foi bem no combate e não errou muitos passes, inclusive o que deixou Everton Costa em condições de marcar o segundo da partida.

Fellipe Bastos – tirando algumas falhas ao cobrir as laterais (o que foi corrigido no segundo tempo), fez uma boa partida. Teve disposição no combate e ajudou na frente, começando a jogada do terceiro gol com um bom lançamento para o Reginaldo. Perdeu um gol feito ainda no primeiro tempo.

Douglas – se não chegou a jogar mal, parecia claramente desinteressado na partida. Se limitou a tentar passes em profundidade e lançamentos, sem muito sucesso. Dackson entrou em seu lugar faltando 10 minutos para o fim do jogo e foi o autor da assistência para o quarto gol do Vasco.

Everton Costa – marcou o segundo da partida, tornando o jogo mais fácil. Mas seu primeiro gol pelo Vasco parece tê-lo deixado confiante demais, exagerando no individualismo em alguns momentos. O que não o impediu de inteligentemente fazer  a assistência para o terceiro gol. Saiu para a entrada do Bernardo, que já entrou em campo cobrando uma falta com perigo, sua única participação relevante no jogo.

Reginaldo – com um gol antes dos oito segundos de bola rolando, abriu as portas para a goleada. Deu trabalho à defesa adversária jogando pelas pontas com velocidade (foi assim que ajudou na jogada do terceiro gol). Deu lugar ao Montoya, que bagunçou com os zagueiro caxienses várias vezes, numa delas iniciando a jogada do quarto gol, mas não conseguiu marcar o seu.

Edmilson – no primeiro tempo, fez excelente assistência para Reginaldo nos primeiros segundos de jogo e se enrolou com a bola no restante dos 45 minutos. Deixou para mostrar seu faro de gol no segundo tempo, marcando dois – o primeiro, um golaço – e se consolidando na artilharia da competição com 10 gols.

***

Quem quiser ler mais a respeito dos temas desse post podem visitar a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e acessar os links das matérias que tratam desses assuntos. O link também está no meu twitter: @jc_CRVG.