Punição da Conmebol em caso de racismo dá vontade de chorar

Leia o post original por Pedro Ernesto

Enquanto o Paulo César Tinga se desdobrava em Porto Alegre para fazer um ato em shopping da Capital contra o preconceito, a Conmebol anunciava a punição do Real Garcilaso, do Peru. Aplicou multa de US$ 12 mil e ameaçou que, caso se repitam os atos racistas de sua torcida, seu estádio será interditado. Dá vontade de rir, para não dizer de chorar. Primeiro, a Confederação Sul-Americana demorou muito para tomar uma decisão, o episódio aconteceu no dia 12 de fevereiro. Segundo, ela aplicou punição que está muito longe da gravidade do que ocorreu. É importante lembrar que Tinga foi humilhado pelos peruanos. Os mesmo que descendem dos incas, cuja sociedade foi massacrada pelos ocupantes espanhóis, deixando o jogador em situação de constrangimento diante do mundo inteiro.

Confesso que esperava punição mais rigorosa, até mesmo a eliminação do clube da Libertadores. Essas punições brandas só incentivam esses atos. Quem fez a manifestação de racismo certamente ganha motivação para repetir outras tantas vezes. O que a Conmebol fez, na realidade, não inocentar o Real Garcilaso e incentivar os racistas a reproduzir essas atitudes.

TJD

Quando os auditores do TJD gaúcho puniram o Esportivo com cinco jogos, mais multa, todos nós criticamos. Entendemos que a pena foi muito leve em função da gravidade do ato racista contra o árbitro Márcio Chagas da Silva. Com a confirmação da punição da Conmebol ao Real Garcilaso, devo chegar à conclusão de que a imposta ao Esportivo foi muito mais branda do que a aplicada pela entidade Sul-Americana. Mas em ambos os casos não se vê ação rigorosa dos julgadores. O que significa dizer que o racismo está liberado nos estádios. Eis um assunto em que a Fifa poderia intervir. Suas são frequentes na Europa. Bem poderiam atravessar o Atlântico e ocorrer por aqui.

Xavante

São apenas seis gols sofridos em 16 jogos. Ninguém tem essa performance dentro do Gauchão. O Brasil-Pel se defende muito bem. Os números mostram. Lembro-me do jogo do Brasil contra o Inter no Beira-Rio. Só perdeu no final e teve a melhor chance, com Fernando Cardozo, que errou cabeceio na frente do gol.

Digo isso para concluir que o Grêmio deverá enfrentar grandes dificuldades para superar o Xavante. Sorte do time de Enderson Moreira que atravessa momento muito bom, jogando com velocidade e com esquema de jogo definido, capaz de suplantar os rivais.

Demais

A ausência por lesão de Rafael Moura dá nova oportunidade para Wellington Paulista. Não se trata de um centroavante habilidoso, mas capaz de concluir lances incríveis. WP9 foi goleador no Botafogo, no Santos e no Cruzeiro. No Inter, tem feito média interessante de gols. Penso que tem capacidade semelhante às de He-Man, considerado por Abel Braga o titular. Por essa razão, o Inter mantém sua força ofensiva.