OPINIÃO: São Paulo 0×0 Penapolense

Leia o post original por daniel perrone


Nação do Maior do Mundo;

Eliminação, vexatória, absurda e humilhante em pleno Morumbi. Com a equipe 99% titular (apenas Souza de fora), se preparando praticamente uma semana e diante de um adversário pouco expressivo, o Tricolor mostrou mais uma vez ao torcedor sua faceta derrotada dos últimos anos. O time inteiro, seu treinador e os gênios que colocaram ingresso comum a R$ 40,00 nesta noite merecem ir todos para a puta que pariu essa eliminação.

O jogo pode ser resumido em uma dura, porém verdadeira frase: Mereceu passar para a próxima fase quem teve a proposta de jogo melhor executada. O Penapolense deu um claro baile coletivo nos comandados de Muricy. Se fechou com extrema excelência, marcou muito bem os principais jogadores do São Paulo e quando saiu para o jogo levou muito mais perigo que os donos da casa. Por outro lado, o Tricolor foi o retrato completo da incapacidade técnica e tática. Não conseguiu jogar contra uma equipe bem postada, mesmo diante de sua torcida e em seu próprio estádio. E o pior de tudo; mão teve nenhum poder de reação, improviso, talento e ousadia para passar a adversidade. Vão todos para a puta que pariu ter que treinar muito mais nesses dias de folga.

Entre tantas presepadas, me surpreendi com uma declaração prá lá de infeliz do meia Maicon, no intervalo: “Não podemos ouvir a torcida, temos que controlar a bola e achar o momento certo de atacar”. Quer dizer que a torcida está errada em pedir mais intensidade ao time, que só tinha chutado uma vez ao gol do Penapolense? Pelo amor de Deus, senhor Maicon, e demais do elenco: Nem se o jogo tivesse 90 mil minutos abriríamos o placar jogando o que jogamos na noite dessa quarta. Era bola prá, lá, bola prá cá e quase nenhum chute a gol. É inadmissível um clube do tamanho do São Paulo se contentar com esta estratégia diante de uma equipe do interior paulista, por mais que o Penapolense tenha seus méritos na classificação. Não foi normal. Vocês pipocaram!

Já imagino o “day after”: O aclamado “ambiente descontraído” no CT já foi para o espaço e até a boa tentativa do clube em arrematar mais Sócios Torcedores oferecendo um mega desconto (em detrimento de um preço abusivo para o torcedor comum) fatalmente irá por água abaixo, com muitas desistências após o show de horror. Afinal, quem vai querer apostar num time pipoqueiro como esse que se desenhou nas quartas de final? Se não houver mais uma mega liquidação de ingressos (a nossa salvação em 2013) será mais um ano em que o torcedor pouco irá comparecer no Cícero Pompeu de Toledo. E quem comparecer será por pura paixão, porque por crença em títulos vai ser difícil.

São-Paulinos oposicionistas, situacionistas, torcedores ou dirigentes: Perder faz parte do futebol, mas não desse jeito. Nunca deste jeito. Sempre digo que o longo Paulistinha serve muito mais para plantar crise em três derrotados que glorificar um vencedor, mas neste semestre em termos de vergonha só ficamos na frente do Corinthians, que teve a manha de ter campanha mais vexatória que a nossa no estadual. Parabéns a todos os envolvidos: Vão todos para a puta que pariu. As vésperas do Brasileirão, como no ano passado, mais uma vez o torcedor está com uma pulga do tamanho de um mamute atrás da orelha.

Saudações Tricolores!

Nota dos principais personagens da partida:

Rogério Ceni Uma boa defesa e a impressão que a qualquer momento iria voltar uma cobrança na disputa de pênalti por ter se adiantado em alguma possível defesa. Nota: 6,5

Douglas Até começou bem o jogo, mas depois foi definhando e voltou a ser o Douglas esforçado e limitado de sempre. Nota: 4,0

Rodrigo Caio Alguns vacilos, algumas antecipações e muita insegurança como zagueiro para torcedores como eu, que preferem vê-lo disputar vaga no meio de campo. Nota: 4,5

Antônio Carlos Partida com alguns vacilos mas sem comprometer. Nota: 5,0

Alvaro Pereira Faltou bola no jogo de hoje.  Parece que já se contaminou com o atual estigma do time. Tomara que eu esteja errado pois é um ótimo jogador. Nota: 4,5

Wellington Mais uma vez certificamos que não podemos contar com ele em jogos decisivos. Que falta fez o Souza! Nota: 3,5

Maicon O retrato do “controle” inoperante do jogo. Nota: 4,0

Ganso Bem marcado, sumiu em campo. Muito pouco para o talento que tem. Nota: 3,5

Pabón O pior em campo. Não marcou, não criou espaços. Uma presa fácil. Nota: 3,0

Osvaldo O melhor, ou melhor, o menos pior do time. Tentou jogadas e foi o mais ousado. Pouco para a vitória. Nota: 6,0

Luis Fabiano Sem ser municiado, o tigre vira gatinho. Para variar tentou arrumar confusão e levou o seu cartão habitual. Nota: 3,5

Ademílson Apesar da técnica limitada e da incapacidade de chutar certo a gol, entrou e fez mais que Pabón e muitos que estavam em campo. Nota: 5,5

Muricy Ramalho Para mim, tem sua parcela de culpa sim. Como é que um time, que tem estrelas, o mando de campo, um adversário modesto e um bom tempo para se preparar toma um baile coletivo desses? Não era esse São Paulo que iria estar na ponta dos cascos na decisão do Paulistinha? Não passamos nem das quartas desta vez. Nota: 3,5

PS: Tricolor, se você não compactua com as opiniões emitidas no texto ou com a opinião de outros torcedores seja educado no modo de se expressar. Mensagens em desordem com o andamento do blog serão pré-eliminadas. abs!

Me siga no Twitter: http://twitter.com/danielperrone
Curta a Fan Page: http://facebook.com/danielperronespfc
Instagram: http://instagram.com/danielperrone

Opine, palpite, participe do Blog do Maior do Mundo!