Todo o cuidado é pouco para os políticos em ano de eleições

Leia o post original por Pedro Ernesto

Todo o cuidado é pouco para os políticos em ano de eleições. Isso pegou até na Copa do Mundo. Tarso Genro fugia dela até que se deu conta de que, se o Mundial não desembarcasse em Porto Alegre, o prejuízo seria muito maior do que mandar à Assembleia um projeto de R$ 25 milhões para as estruturas temporárias. Contou com sua bancada e com o PP. Os progressistas entenderam a grandeza da Copa e ainda colocaram um adendo importante: que tudo seja informado – material, custos e etc. – no mesmo dia. Transparência total. Gostei.

O PSDB votou contra. Escutei o deputado Jorge Pozzobom alegando que se está tirando o dinheiro da saúde, da educação e de outros setores. Só lamento que ele não tenha feito esse discurso no governo Yeda Crusius, quando foi dada renúncia fiscal para Inter e Grêmio nos seus estádios. E o PT, que não quis a Ford para não dar incentivos fiscais, agora votou a favor. São as eleições que estão chegando e cada um quer tirar dos fatos o melhor partido.

Na decisão

O Grêmio está na final do Gauchão, depois de dois anos de ausência. Foi com suor e até alguns sustos no final. Mas a fase do time é tão boa e o futebol é de tanta qualidade que nem mesmo o ótimo momento do Brasil-Pel foi suficiente. Enderson Moreira mostra ser um grande técnico e tem em Luan e Dudu expoentes do seu sucesso.

O Xavante exibiu na Arena o porquê da ótima campanha. Marcou forte e não se intimidou. Reclamou de toque de Luan no segundo gol, com razão, conforme o comentarista de arbitragem da Rádio Gaúcha, Diori Vasconcelos.

Finalista

Com uma vitória tranquila sobre o time desfalcado do Caxias, o Inter conseguiu a vaga para a final do Gauchão e tenta o tetra. Wellington Paulista provou, mais uma vez, que é capaz de marcar muitos gols, mesmo não sendo um jogador muito vistoso. Alex, D’Alessandro e Aránguiz armam um meio-campo muito criativo.
Mas a defesa do Inter ainda não foi suficientemente testada num esquema em que só existe um volante de marcação. Os dois Gre-Nais vão provar se Abel Braga tem razão com seu sistema, que para muitos é excessivamente ofensivo.

É demais!

A reinauguração da Granja Comary, nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro, serviu para mostrar que a eleição à presidente da CBF, em abril, será sem oposição. Os dirigentes de federações que se organizavam para lançar um candidato se desmobilizaram. Os líderes desse movimento não eram o gaúcho Francisco Novelletto e o carioca Rubens Lopes. Assim, o vice de José Maria Marin, Marco Polo del Nero deve ser eleito. Não se descarta que seja por unanimidade.