Eliminação precoce no Paulistinha já tem seus primeiros efeitos no Tricolor

Leia o post original por daniel perrone

Nação do Maior do Mundo;

Essa vai para os mais novos: O filme “The Day After” (ABC 1983) contou a história do que seria o planeta Terra após a terceira guerra nuclear. Naquele período a tensão EUA x União Soviética era tanta que a produção foi um dos maiores sucessos de público daquele ano. Os efeitos especiais devastavam por completo o país e as consequências eram apavorantes.

O “The Day After” do São Paulo FC em 2014 começou imediatamente após a eliminação vexatória diante do Penapolense, em pleno Morumbi.

Muricy já deu a ordem: Vai colocar Alexandre Pato imediatamente no time, custe a quem custar, doa a quem doer. O jogador, impossibilitado de jogar o Paulistinha por conta de um contrato, agora está totalmente livre para atuar pelo clube. Jogará no ataque ou até mesmo saindo do meio de campo, como se viu no primeiro tempo diante do CSA na primeira partida da Copa do Brasil, em Alagoas.

O treinador terá doze dias de treinamento para resolver a questão. Ganso e Pabón, com rendimento abaixo do esperado, são os mais ameaçados de titularidade. Muricy deve sinalizar quem entrará no lugar de quem durante o período de ostracismo de jogos que o São Paulo teimou em se colocar.

Tão ou mais importante que Pato titular será a busca de um ou mais jogadores para o meio-campo. De preferência antes do início do Brasileirão. Não há condições de atuarmos com o mínimo de excelência com os volantes que temos disponíveis. Só a falta de Souza, contundido no joelho, fez o arroz-feijão da volância desandar no setor que “ganha jogo”. Há também a necessidade da vinda de um zagueiro de nível. Com a vinda de um xerife, Rodrigo Caio, que considero bom jogador mas não para atuar na zaga (ainda mais nessa tão desprotegida), poderia ser testado junto com Souza no meio, mas ainda não é o suficiente.

Outro detalhe tão essencial como a construção de um elenco mais forte para o segundo semestre: O esquema tático. Será que é tão necessária a regra de três atacantes neste time tão instável? Se mesmo com três atacantes (Pabón, Luis Fabiano e Osvaldo) e a entrada de Ademílson não conseguimos furar a defesa do Penapolense, conseguiremos sucesso no Brasileirão, torneio muito mais difícil?

Entre várias incertezas, uma coisa é evidente, além de Pato em campo prá ontem: Esse time será muito, muito cobrado no resto do ano. O novo presidente, que tomará posse em abril, terá muito trabalho para transformar mais um elenco instável e sem confiança em um elenco vencedor e confiável. O trabalho já começou no CT da Barra Funda. Se vai terminar com sucesso, apenas o tempo dirá.

Saudações Tricolores!

PS: Tricolor, se você não compactua com as opiniões emitidas no texto ou com a opinião de outros torcedores seja educado no modo de se expressar. Mensagens em desordem com o andamento do blog serão pré-eliminadas. abs!

Me siga no Twitter: http://twitter.com/danielperrone
Curta a Fan Page: http://facebook.com/danielperronespfc
Instagram: http://instagram.com/danielperrone

Opine, palpite, participe do Blog do Maior do Mundo!