As vésperas da eleição, Tricolor sofre com sócios não são-paulinos, oportunistas e o sistema de votação

Leia o post original por daniel perrone

Nação do Maior do Mundo;

Neste fim de semana, os sócios do São Paulo FC elegerão os novos conselheiros que, ao lado dos vitalícios, decidirão quem mandará no clube nos próximos três anos.

É normal a política ferver no São Paulo, principalmente em véspera de eleição. A chapa da situação (Avança São Paulo) e a chapa da oposição (SPFC Forte) fazem de tudo para conquistar os eleitores: Folders explicativos, camisas, eventos e até santinhos com a tabela da Copa do Mundo são armamentos na guerra política.

Porém, quem é torcedor do São Paulo e se envolve com a política do clube sofre muito com este período. É nele que entra em campo os sócios não torcedores do time, os oportunistas e o sistema arcaico de votação. Analisaremos eles a seguir:

Sócios não são-paulinos Acredite: Praticamente metade do clube é frequentado por sócios que não torcem para o São Paulo. E acredite mais ainda: Muitos que torcem não ligam a mínima para o que acontece no campo do futebol. Apenas são são-paulinos. O perfil do sócio é de gente que mora nas redondezas e aproveita da boa estrutura que o clube oferece. Fazem amigos, são influenciados e influenciam as pessoas de dentro. Vivem em uma sociedade fechada. Poderiam estar no Paulistano, no Pinheiros mas estão no São Paulo pela questão geográfica. Por isso, é perfeitamente fácil de acreditar que eles “trabalham contra” o principal alicerce do clube: O futebol profissional. Na verdade eles querem mais é ver o clube limpo e bonito. Estão no direito deles.

Oportunistas Em qualquer ramo da sociedade existem eles, os oportunistas. Em clubes isso não é diferente. São-paulino ou não, o oportunista não visa o clube como uma sociedade e sim algo bom para ele. São aqueles que votam ou são votados em troca de cargos, benefícios ou presentes que vão desde uma simples camiseta, passam por uma carterinha para ter uma vaga no estacionamento e até terminam em grandes comissões “por fora”, caso esse oportunista seja muito competente.

Sistema de votação No São Paulo, o sócio pode votar apenas nos candidatos de uma chapa só, isso é, não podem votar no que consideram melhores por segmento de interesse (futebol, tênis) ou por qualquer outra afinidade. É preciso escolher um partido. Isso impede que um sócio possa, por exemplo, votar nos melhores nomes para o futebol, independente de chapa.

Tudo isso atrapalha (e muito) o andamento do futebol profissional. Na minha opinião não faz nenhum sentido pensar em uma gestão séria e profissional nos dias de hoje com o social “mandando” no destino do futebol.

Tem muita gente boa na chapa amarela e na chapa vermelha (alguns caras ruins também), mas que são atrapalhados pelos fatores descritos acima. Infelizmente para se ter sucesso na gestão do futebol profissional (o motivo de você vir aqui no blog todos os dias) as chapas tem que trabalhar junto com esses fatores, muitas vezes se aliando com gente desonesta ou simplesmente incompetente, mas que os fortalece politicamente.

Mais que a presidência, é essa estrutura que realmente precisa mudar no São Paulo.

Saudações Tricolores!

PS: Tricolor, se você não compactua com as opiniões emitidas no texto ou com a opinião de outros torcedores seja educado no modo de se expressar. Mensagens em desordem com o andamento do blog serão pré-eliminadas. abs!

Me siga no Twitter: http://twitter.com/danielperrone
Curta a Fan Page: http://facebook.com/danielperronespfc
Instagram: http://instagram.com/danielperrone

Opine, palpite, participe do Blog do Maior do Mundo!