A reinauguração do Gigante da Beira-Rio

Leia o post original por Pedro Ernesto

Não quero furar o grande diretor Edson Erdmann, o responsável pela grande festa que o  Gigante da Beira-Rio verá neste sábado, em sua reinauguração. Na quinta-feira, por curioso, estive no Beira-Rio assistindo ao último ensaio. Fiquei impressionado com o que vi. Imagine, torcedor, que um imenso barco atravessa o campo, lembrando os tempos em que não havia o aterro, mas o Guaíba onde hoje está o estádio. Vi o Zé Adão Barbosa fazendo uma manifestação sobre um andaime de obra, contando o que foi a grande obra dos colorados, há 45 anos atrás. Vi depoimentos dos mais importantes jogadores das quatro últimas décadas, efeitos sonoros fantásticos e artistas colorados desfilando ou cantando sucessos de época. Serão cerca de 1500 figurantes fazendo grande evoluções pelo campo, relembrando fatos e recontando a história do estádio que depois deste final de semana será, oficialmente, entregue ao seu torcedor. Apesar de todo o brilho, das luzes, o espetáculo, antes de tudo, emocional. Tenho certeza que 50 mil colorados vão se emocionar muito com o que poderão ver neste sábado. Será uma grande festa.
Emoção
No coração de cada torcedores, existe o amor pelo clube. A gente sabe que o cara pode trocar de mulher, mas nunca de clube. Os torcedores colorados, que na sexta-feira viveram o dia do aniversário, e neste sábado viverão a grande festa “Os protagonistas” e no domingo assistirão ao jogo do Inter contra o Peñarol, estão vivendo momentos de grande emoção. É isso que um clube pode colocar no coração de seus torcedores. Alegria e a tristeza vem junto com os resultados, mas a ideia de torcer para o clube é permanente, seja qual fora a situação. Os colorados estão vivendo um momento emocional de grande importância. São três dias de festas, comemoração, recordações e de grande demonstrações de amor pelo Inter.
Zagueiros
O departamento de futebol do Inter vai ter que dar uma olhada na possibilidade de contratar mais um zagueiro, visando a copa do Brasil e o Brasileirão. Paulão é titular absoluto. Mesmo não sendo um jogador tecnicamente importante, ele é jovem e tem saúde. Ernando é outra boa solução encontrada pelo Inter. O problema está nos dois veteranos, Índio e Juan. São jogadores notáveis, mas pela idade, não está seguindo o ritmo que o clube necessita. Eles se lesionam com muita frequência e tiram do treinador a opção de escalá-los. Acho que a direção colorada poderia se preparar e buscar mia sum jogadores para essa posição.

É demaaaiiiiis!!!!!
Os jogadores do Grêmio estão vivendo um momento diferente em suas vidas particulares. Ganharam folga de um final de semana inteiro. Desde quatro de janeiro, quando se apresentaram para a temporada, não tiveram nenhuma folga, pois estavam na disputa do Gauchão e da Libertadores. Foi um período de jogos importantes, decisivos e com grande viagens entre eles. Certamente de muito desgaste físico e, principalmente, emocional. Nada melhor do que passar um final de semana com a família.  Poder relaxar   passear. Enfim, um fim de semana de pessoas comuns. Depois de tanto trabalho, é claro que eles merecem.