Se dependesse só de bola, Alemanha despacharia Brasil

Leia o post original por Mion

Alemanha vai atravessar o caminho do Brasil antes da final. E aí mora o maior perigo. Alemães são superiores.

Alemanha vai atravessar o caminho do Brasil antes da final. E aí mora o maior perigo. Alemães são superiores.

Futebol está muito acima da lógica pura e simples. Apontar favoritos baseado apenas na qualidade das equipes é algo cômodo e muito superficial para este esporte tão complexo e fortemente ligado às questões comerciais e sociais. Se em décadas passadas o futebol foi o ar respirado por países da América do Sul, atualmente a Europa e toda a Ásia também respiram do mesmo ar e dão importância tanto quanto os sul-americanos. Por isso a Copa não tem um ou dois favoritos, mas sim quatro: Brasil, Argentina, Alemanha e Espanha. Também não dá para descartar a Itália, como sempre não possui time de encher os olhos, mas gosta de surpreender superando deficiências com superação. Também poderia apontar a qualificada Bélgica, entretanto não tem tradição e força política/comercial para vencer. Vai incomodar e só.

Se a Copa fosse na década de 80 ou 90 com certeza Brasil seria apontado como favorito absoluto. Dentro de casa com toda a força da torcida, não haveria surpresa. A seleção não consegue impor esta preferência porque todos nós sabemos que a qualidade de nossos jogadores caiu demais na última década. Não que sejam cabeças-de-bagre, longe disso, são jogadores de boa qualidade, altamente competitivos e talhados para vencer, porém se tornaram “máquinas” perderam o maior diferencial: criatividade e poder de surpreender. Jogadores competentes a Europa sempre teve, o Brasil desmontava a eficiência com talento e técnica. Por isso ganhar a Copa não significa absolutamente nada. Qualquer um dos quatro pode ganhar, a questão é como: uns por talento e força política/comercial e outras por situações diversas.

Se analisarmos as quatro seleções partindo apenas da espinha dorsal já dá para perceber claramente as diferenças: Goleiro, zagueiro, volante, meia atacante e atacante. Esta sempre foi e sempre será a base de qualquer grande time.

GOL – Neuer (Alemanha), Casillas (Espanha), Júlio César (Brasil) e Romero (Argentina). Disparado o goleiro alemão, está entre os três melhores do mundo. Neuer foi importante na conquista do Champions League pelo Bayern. Os demais são incógnitas. Casillas tem a seu favor o fato de ter conquistado a Copa em 2010, entretanto não é titular do Real Madri há algum tempo. Júlio César e Romero não inspiram segurança são as maiores incógnitas de suas seleções. Goleiro que não transmite segurança pode gerar sérias consequências no comportamento dos companheiros e torcida.

VANTAGEM – ALEMANHA COM NEUER

ZAGUEIRO – Thiago Silva (Brasil), Piquet (Espanha), Boateng (Alemanha) e Fernandéz (Napoli). Também não há comparação na vantagem do brasileiro Thiago Silva, está acima de qualquer um no mundo. Em segundo Piquet da campeã Espanha. Boateng e Fernandéz estão no mesmo patamar, zagueiros comuns de ótimo nível.

VANTAGEM – BRASIL COM THIAGO SILVA

 

VOLANTE – Schweinsteiger (Alemanha), Busquet (Espanha), Masquerano (Argentina) e Luis Gustavo (Brasil). Briga boa entre o alemão e o espanhol. Leve vantagem para Schweinsteiger. Masquerano fica em terceiro com sobras sobre Luis Gustavo.

VANTAGEM – ALEMANHA COM SCHWEINSTEIGER, RESSALTANDO QUE BUSQUET TAMBÉM FAZ DIFERENÇA NA ESPANHA.

 

MEIA ATACANTE – Iniesta (Espanha), Götze (Alemanha), Di Maria (Argentina) e Oscar ( Brasil) . Mais uma situação bem clara. Iniesta na frente, sem Messi e Cristiano Ronaldo seria o maior craque do futebol mundial. Götze e Di Maria são excelentes e no mesmo patamar. Oscar um pouco abaixo, pode até empatar com os dois, mas dependerá da fase.

VANTAGEM – ESPANHA COM INIESTA, NÃO ESQUECENDO QUE AINDA TEM XAVI, XABI ALONSO E FÁBREGAS, ASSIM COMO A ALEMANHA MÜELLER, KROOS E ÖZIL TODOS TALENTOSOS E ACIMA DA MÉDIA.

ATACANTE – Messi (Argentina), Neymar (Brasil), Mário Goméz (Alemanha) e Diego Costa ( Espanha). Neste caso impera o argentino, melhor jogador do mundo, seguido por Neymar por ser o único talentoso brasileiro. Mário Goméz ainda não tem vaga garantida é um matador assim como Diego Costa.

VANTAGEM – MESSI PORQUE É O FATOR QUE INFLUENCIARÁ DIRETAMENTE NA POSSIBILIDADE DA ARGENTINA SONHAR COM O TÍTULO DA COPA. NEYMAR EM MENOR ESCALA TAMBÉM, POIS O BRASIL ALICERÇARÁ NO CONJUNTO O SEU DIFERENCIAL.

Esta análise não é uma questão de opinião e sim de fatos. Estes jogadores são reconhecidos como os melhores. Logo Alemanha e Espanha estarão acima de Brasil e Argentina. Não vamos esquecer que nunca uma seleção europeia venceu na América do Sul, talvez seja a hora.

O acima exposto somado com o fato de que os quatro países respiram futebol e grandes empresas investem fortunas porque o futebol é um dos principais meios de venda de produtos e milhões de euros estão em jogo, acredito que a briga fica entre Alemanha e Espanha, em terceiro a Argentina que passa uma das maiores crises sociais de sua história e tem Messi o craque mais rentável ao Lado de Cristiano Ronaldo. Também o Brasil sofreu grandes pressões populares e gastou bilhões para sediar a Copa. O que vai acontecer então? Somente o movimento das próximas peças nos bastidores darão o tom do “grand finale”!