Espiões de Brasil e México “trombam” em jogos da Croácia

Leia o post original por blogdoboleiro

Saint Gallen, Suíça, dia 5 de março. O técnico Alexandre Gallo entrou no setor de cadeiras especiais do estádio da cidade e procurou o assento indicado no ingresso que recebeu da Federação Suíça de futebol. Ele estava lá para observar e estudar as duas equipes do amistoso entre Suíça e Croácia. Os croatas eram o alvo principal. Só que, ao chegar ao local indicado, o brasileiro deu de cara com um rosto conhecido. “Encontrei um integrante da comissão técnica do México, que estava sentado na cadeira ao lado. Eu já o conhecia de outras partidas”, contou.

O que parecia uma coincidência era apenas previsível. Brasil e México estão no Grupo A da Copa do Mundo, ao lado da Croácia e República dos Camarões. Os dois “espiões” trocaram cumprimentos, conversaram um pouco e Gallo foi buscar outro lugar para fazer anotações do jogo. Na verdade, ele pouco escreve. Integrante da comissão técnica de Luiz Felipe Scolari, Gallo costuma gravar vídeos, tirar fotos e registrar no gravador de áudio o que notou de importante nos atletas e na equipe toda croata.

No amistoso, a Croácia saiu na frente com dois gols do atacante Ivica Olic, do Wolfsburg da Alemanha. No segundo tempo, os suíços empataram. Foi o quinto jogo sem cvitória do primeiro adversário do Brasil, já na abertura da Copa no estádio do Corinthians, em Itaquera. “É um time técnico, com alguns jogadores experientes”, foi o máximo que Gallo se dispôs a falar sobre o que viu em Saint Gallen.

Há muito mais no relato que entregou à comissão técnica do Brasl. Quando reparava em alguma característica diferente de um atleta, Gallo gravava no "notebook" um comentário dando o tempo de jogo. Depois, ele ouviu a gravação e a transcreveu no relatório. Junto, trechos da partida em vídeo e fotos com o posicionamento em jogadas de escanteio, cruzamentos e cobranças de falta. Este relatório está na pasta escrita Croácia, mantida na sala do treinador na sede da CBF, que já acumula cerca de oito partidas.

A Croácia tem dois desfalques certos para a abertura do Mundial: o atacante Mario Mandzukic, do Bayern de Munique, vai cumprir suspensão automática por ter sido expulso na partida contra a Islândia, pela repescagem das eliminatórias europeias. E o zagueiro Simunic, capitão do time, foi suspenso pela Fifa por 10 partidas. Gallo acha que o atual capitão Darijo Srna, de 32 anos, é um defensor que dá estabilidade ao time. Olic, 34 anos, chama a atenção pelos gols. E o meia Modric, do Real Madrid, é o cara mais habilidoso do grupo croata.

Estas anotações foram feitas também pelo espião mexicano. Resta saber como Brasil e México vão encarar a Croácia no Grupo A.