Quem for pró-ativo vai lucrar muito com a Copa no Brasil

Leia o post original por Pedro Ernesto

Segundo dados do Ministério do Turismo, a Copa das Confederações rendeu ao Brasil R$ 9,7 bilhões de dinheiro novo que entraram na economia brasileira. E a Copa das Confederações é apenas um aperitivo da grande Copa do Mundo que se aproxima. Foram cinco sedes, na Copa, teremos 12. Foram oito seleções, na Copa, serão 32.

Vai ser tudo muito maior, com a presença de aproximadamente 800 mil turistas estrangeiros que virão para o Brasil assistir suas seleções. Devemos lembrar que será uma Copa tecnicamente maravilhosa. Aqui estarão todas as seleções que já foram campeãs mundiais, todos os melhores jogadores da atualidade.

Vai entrar muito dinheiro novo no nosso país e todos vão ganhar com a Copa. Motoristas de táxis, hotéis, restaurantes, boates, lojas, shoppings, todos vão faturar. Quem for pró-ativo e parar com esta choradeira que a Copa não é boa para o Brasil poderá faturar bastante.

Argelinos

A Argélia vai jogar em Porto Alegre. Os argelinos, talvez sabendo da lotação dos hotéis da Capital, ou para conseguirem curtir a nossa belíssima Serra gaúcha, já foram a Gramado marcar hospedagem para esse período. São autoridades daquele país, comerciantes, pessoas de bom poder aquisitivo.

Serão de 800 a mil pessoas que vão ocupar cerca de 20 hotéis da região. Esse é só um exemplo do que nos espera na Copa, sempre lembrando que a seleção da Argélia é das que menos público traz para o Mundial. Fora, claro, os torcedores comuns que vêm por pacotes turísticos ou voos comerciais. Em média ficarão hospedados por 4 dias.

Substituto

A semana será de palpites e opiniões sobre quem será o substituto de Luan. Um já saiu desta corrida. É Zé Roberto, que ainda não está fisicamente pronto depois de longa parada. Restam como possibilidades Alán Ruiz, o mais votado, Jean Deretti e, o menos provável, Éverton.

Entendo que Enderson vá deixar para anunciar só no dia do jogo contra o Nacional. Menos por este adversário, que vem com time misto e dá prioridade ao campeonato uruguaio por já estar fora da Libertadores, mais pelo Gre-Nal de domingo, no qual o Grêmio chega vivo, mas com desvantagem importante por causa da derrota que sofreu na Arena, por 2 a 1.

Beira-Rio

Ainda não é um estádio totalmente pronto. Por dentro, uma beleza, com poucos detalhes que devem ser corrigidos. No entorno, falta tudo. Mas existe uma semana que nos separa do Gre-Nal e muita coisa pode melhorar.

Entulhos podem ser retirados, asfaltamento pode ser feito, bretes para a torcida do Grêmio não se encontrar com colorados – falo daqueles brigões travestidos em torcedores. Há tempo para isso, porque Gre-Nal é jogo de rivalidade e enfrentamentos. E um Gre-Nal no Beira-Rio tem muitos mais sabor para os colorados, que serão quase totalidade das arquibancadas, do que o Estádio Centenário, que serviu muito.