Mano adora o futebol de Elias e nem tanto o do Ralf; direção tentará negociar o volante

Leia o post original por Vitor Birner

De Vitor Birner

Mano gosta de jogar com dois volantes que ajudam na criação e aparecem para finalizar.

No 4-2-3-1, esquema tático que mais usou desde a primeira passagem pelo Parque São Jorge, Elias e Cristian se consagraram no melhor momento vivido pelo treinador no comando da equipe.

Por isso, o atleta recém-contratado na difícil negociação com o Sporting, que defendeu o Flamengo  no campeonato brasileiro, é da confiança do treinador.

Desde meados do ano passado a direção Alvinegra mostrou interesse em trazê-lo de volta. .

Chega, é claro, para ser titular.

A questão é em qual posição.

Pode ser escalado na linha de três do 4-2-3-1 junto com Jadson e outro boleiro.

Romarinho e Luciano têm características de atacante e ter alguém assim no trio é importante, e talvez, por isso, saiam na frente dos outros nesta disputa.

Mas não creio que posicionar Elias assim será a opção do comandante quando o time estiver entrosado e marcar corretamente.

Pode ser usado ali de vez em quando, caso seja necessário reforçar o  sistema defensivo, enquanto a equipe não se posicionar corretamente, pois a presença dele no trio ajuda a fortalecer a marcação na frente sem anular as possibilidades ofensivas na região do campo em que atuar.

Elias marca melhor que Romarinho, Luciano, Jadson, Renato Augusto e Danilo, que já atuaram sob o comando de Mano na linha de três. Danilo, se estiver em forma, é o melhor deles nisso.

Creio que Elias vai atuar na dupla de volantes.

Eis a questão.

Mano não é fã do futebol do Ralf,

Prefere alguém capaz de ajudar mais o sistema ofensivo.

Por isso não se opõe quando a direção cogita negociá-lo.

Ele só não foi para o Napoli na última janela de transferências porque não houve acordo na negociação.

Na próxima, a cartolagem tentará engordar o caixa com a saída do volante.

O presidente Mario Gobbi, principal mentor da vinda de Mano Menezes, confia no treinador e deve jogar junto com ele.

Mesmo assim, tenho dúvidas se Mano Menezes, depois da má campanha no estadual, encararia a responsabilidade de mexer com o ídolo da torcida, atleta guerreiro e humilde entre as quatro linhas, e um dos ídolos da fase mais vitoriosa da história corintiana.

Mas ao longo do tempo tentará, por exemplo, atuar com Elias e Guilherme na dupla de volantes. Assim, poderá usar Renato Augusto, que se estiver em forma é importante, Jadson e outro atleta, provavelmente com característica de atacante, na linha de três.

Privilegiará a técnica, a capacidade de tratar a bola bem, na hora de formar a equipe.

Outra opção seria jogar com o trio de volantes, tal qual fez em vários jogos do paulistinha, mas tal decisão redunda no desperdício de talento.

De qualquer maneira, para evitar a polêmica e abastecer o caixa, a direção do Corinthians tentará negociar o Ralf.

Fundamental

Elias só vai jogar pelo Corinthians depois da Copa do Mundo, quando a janela de transferência for aberta e ele puder ser inscrito no campeonato brasileiro.

Exatamente na mesma época Ralf poderá, legalmente, ser negociado.

Apenas depois do fechamento dela, caso o volante permaneça, a visão de futebol de Mano e a de boa parte da torcida podem entrar em conflito.

Acertou

Acho que o Corinthians acerta ao trazer Elias de volta, apesar de pagar caro pelo atleta com 28 anos e que fará aniversário mês que vem.

Ele tem bom futebol e identificação com a torcida.

Realmente gosta do clube de Parque São Jorge.