Torcedor da Lusa teme vexame até na Série B do Brasileiro

Leia o post original por blogdoboleiro

 

Com o anúncio do presidente Ilídio Lico, afirmando que a Portuguesa de Desportos desisitiu da luta jurídica para voltar às Série A, o clube enfrenta outro problema: não tem dinheiro para reforçar o time até para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro.

A eliminação da Copa do Brasil, depois da derrota para o Potiguar (RN), deixou claro que o grupo montado no início do ano precisa ser fortalecido. “Não vejo nenhuma condição do time disputar a Série B para subir com este time que jogou o Campeonato Paulista”, disse o maestro João Carlos Martins, um dos mais famosos fãs da Lusa.

Até o vice-presidente jurídico do clube, Orlando Cordeiro Alves, tem receio do que o grupo atual possa fazer nesta temporada. “É muito fraco até para a Série B”, disse ao Blog do Boleiro.

Nesta sexta-feira, o Blog do Boleiro tentou conversar com o técnico Argel Fuchs, por telefone. O treinador atendeu, disse que estava dando treino e que falaria mais tarde. Logo de cara, Argel pensou que estava conversando com um empresário de jogadores e disse: “Neste momento, não estamos contratando ninguém”.

O estrago causado pela punição do STJD, tirando quatro pontos da Portuguesa e decretando a queda para a Série B, foi grande.

O presidente Ilídio Lico precisou montar um grupo às pressas em janeiro. A dívida do clube é alta, algo em torno de R$ 400 milhões. E a verba de direitos de imagem que seria destinada ao clube, se ele permanecesse na Série A, renderia mais de R$ 20 milhões. Na Segunda Divisão, a cota cai para R$ 4 milhões.

Por isso, a indefinição no campo dos tribunais só agrava a situação. Neste momento, a Portuguesa está na Série B do Campeonato Brasileiro. Esta foi uma uma semana de ações, liminares, agravos e efeito suspensivo nas varas cíveis dos Tribunais de Justiça de São Paulo e Rio de Janeiro.

Segundo o vice jurídico da Lusa, a luta na Justiça para escapar da Série B e disputar a Série A do Campeonato Brasileiro de 2014, está longe de terminar: “Este caso deve terminar no Superior Tribunal de Justiça ou até no Supremo Tribunal Federal”, disse o Orlando Cordeiro Alves.

O clube pode até pedir na Justiça a paralisação do Campeonato Brasileiro até que o caso seja julgado. “Mas isto é uma possibilidade que estamos estudando”, disse o Dr. Orlando antes de saber que o presidente Lico falou em acatar as decisões e jogar a Série B.

A Lusa iniciou a semana na Série A. O juiz Miguel Ferrari Junior, da 43ª Vara Cível de São Paulo, concedeu liminar obrigando a CBF a recolocar o time paulista na primeira divisão, não acatando a punição determinada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva. A Portuguesa perdeu quatro pontos porque colocou em campo o meia Héverton, na partida contra o Grêmio (última rodada do Brasileirão), que estava suspenso.

Nesta sexta-feira, desembargador Edson Luiz de Queiroz, da 5ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, concedeu efeito suspensivo da liminar. “Podemos recorrer, mas ainda não decidimos o que fazer”, explicou Orlando Alves.

Os sinais não são dos mais animadores. O Tribunal de Justiça de São Paulo não acatou o pedido de liminar da ação cível pública, impetrada pelo promotor Roberto Senise Lisboa, pedindo anulação da pena imposta pelo STJD. Lisboa vai recorrer e levar o caso ao STJ. Nas duas ações, a da Portuguesa e a do Ministério Público, falta o julgamento da questão.
 

O problema é que os sinais não foram os mais animadores para a Lusa. Na Série B, o clube estreia contra o Joinville, no dia 18, sábado. Pela Série B.