Finais bem diferentes nos estaduais; eis os meus palpites

Leia o post original por Vitor Birner

De Vitor Birner

As decisões

Minas Gerais tem o privilégio de ver a decisão de campeonato estadual de nível técnico mais alto do país.

Os campeões da América e do Brasil vão colocar em campo a rivalidade histórica e testar os nervos dos seus fanáticos torcedores.

A derrota contra o principal adversário será pior que a perda da taça de campeão do torneio mineiro.

Os Celestes, apesar dos altos e baixos, mostraram, nos seus bons momentos desta temporada, futebol superior ao do Atlético.

Meu palpite é que vão festejar o título amanhã.

No Rio de Janeiro, a situação é bem diferente.

O Flamengo vai juntar os cacos após a apresentação digna de uma pelada bagunçada diante do León para encarar o Vasco, que disputará a segunda divisão nacional.

Será a final da depressão.

Os dirigentes cariocas são os piores das grandes equipes brasileiras.

Conseguiram a façanha de fazer o povo perder momentaneamente o interesse no clássico dos milhões.

O abalo emocional Rubro-Negro me faz apostar no fim da sequência de fracassos cruz-maltinos em decisões de estaduais contra Fla.

Houve quatro nos quinze últimos anos e o pessoal da Gávea venceu todas.

Em São Paulo, o Ituano, que sofreu apenas dez gols em dezenove partidas, precisará, de novo, parar o ofensivo Santos.

Oswaldo de Oliveira substituirá Gabriel por Alison.

Na prática, trocou o atleta revelado na Vila por Cícero. Quer o ex-são-paulino mais perto da área ou dentro dela para finalizar e fortalecer a jogada aérea .

A derrota do Peixe no confronto de ida deve ajudar o clima de final a dar as caras no Pacaembu.

Domingo passado, ele não apareceu.

O troféu, acho, irá para o litoral.

No Rio Grande do Sul, o Grêmio necessita balançar as redes duas vezes e ganhar do Inter para ter chance de ser campeão.

O Colorado mandará o jogo em Caxias do Sul.

Mesmo diante do competente time de Enderson Moreira, deve aumentar o currículo de conquistas de Abelão.