O Ituano, a Lusa, o tempo, o COI, o Cristo e os milagres

Leia o post original por Milton Neves

seco

Santos 0 x 1 Ituano: que dá, dá, mas não vai dar, não.

Santos 0 x 2 Ituano: que dá, dá, mas não vai dar, não.

Santos 1 x 2 Ituano: que dá, dá, mas não vai dar, não.

Santos 0 x 0 Ituano: que dá, dá, mas não vai dar, não.

Santos 1 x 1 Ituano: que dá, dá, mas não vai dar, não.

Santos 2 x 2 Ituano: que dá, dá, mas não vai dar, não.

Santos 1 x 0 Ituano: que dá, dá, mas não vai dar, não.

Santos 2 x 0 Ituano: que dá, dá, mas não vai dar, não.

Santos 3 x 1 Ituano: que dá, dá.

É que já deu o tempo do Ituano.

O Santos reagiu ou reagirá a tempo.

A Lusa não.

Dormiu de botinas e não foi à Justiça quando do auge do clamor público e da indignação nacional contra o STJD e a CBF.

Como o passar do tempo apaga as pegadas da vida, a Lusa passou em branco em sua justa e tardia luta em vencer os poderosos.

Só o promotor Roberto Senise Lisboa brigou no tempo certo.

Mas, sozinho, está sendo vencido também.

Como vencido foi o Barça pelo bravo Atlético de Madrid do sensacional treinador Simeone e de Miranda, o zagueiro que faltava para Felipão.

E eu errei feio, mais uma vez.

Messi virou jogador-miragem nos dois jogos e o já encorpadinho Neymar vai tomando conta do pedaço, mas ainda é um coadjuvante nobre.

Quarta-feira Messi ganhou nota 0,77 e Neymar levou um 3,97.

E quinta-feira foi a vez do COB e do Rio ganharem 0,00, uma vergonha, mas uma bela nota de endereço certo.

O imposto interventor do COI na organização e construção de “nossa” Olimpíada de 2016 fez até o Cristo Redentor bater palmas pela decisão e para a merecida punição.

Mas que o Cristo fique tranquilo porque em 2016 o Brasil ganhará todas as medalhas de ouro, de prata e de bronze na modalidade esportiva de “saltos orçamentais” em que somos imbatíveis.

Certo, grande jornalista Haisem Abaki?

Aliás, se mal me pergunte, que fim levou o Engenhão eternamente contundido e mal construído?

Só que os novíssimos estádios brasileiros para a Copa estão quase todos prontos e ficaram maravilhosos, impecáveis por dentro.

O Brasil na bola rolando encantará o mundo com as imagens durantes os jogos, mas deixará o planeta vermelho de raiva em nossos aeroportos.

Mas e a Liga dos Campeões da Europa, hein?

Goleia nossa simpática e romântica Copa Libertadores da América por 11 a 2.

Nem quebra-pau de brasileiros, argentinos e uruguaios temos mais.

E na época só do rádio as batalhas campais eram “emocionantes”, quem não se lembra?

Hoje, sumiram Boca, River, Peñarol, Independiente, Estudiantes, Racing, Santos e São Paulo e sobrou só um monte de “São Caetanos” da Argentina, Equador, Colômbia, Bolívia, Uruguai e Paraguai.

Foi o tempo.

E será que chegou o tempo do Atlético de Madrid?

Pode ser e tomara que sim, mas acho que o time colchonero dará uma de Ituano.

Ou seja, esgotou seu estoque de milagres.

OPINE!!!