Grêmio foi apático e perdeu para um time muito ruim

Leia o post original por Pedro Ernesto

O Grêmio levou os Gre-Nais para Florianópolis. Aquela história de que o Gauchão é passado não funcionou. O time esteve apático, pouco criativo, sem grandes lances de criatividade. Perdeu para um time muito ruim. Importante lembrar que o Atlético-PR, o Furação, não passa de um ventinho neste momento. Os paranaenses entraram em crise por não ter ido à final do estadual. Os dirigentes dispensaram 15 jogadores, o time é formado, em sua maioria, por jovens inexperientes e nem tão talentosos.

O Grêmio poderia ter chegado à vitória com tranquilidade. Mas, no primeiro tempo, foi apático e ruim tecnicamente. Na segunda etapa, buscou reação. Mas o técnico Enderson Moreira fez alterações estranhas e nada produziu de efetivo. Poucas oportunidades, muitas bolas alçadas na área, o que facilitou para os zagueiros. Um péssimo começo do Grêmio, ainda sob reflexo do Gre-Nal, em que foi golpeado pelo maior rival.

Processo

O Grêmio foi muito mal nos dois Gre-Nais finais do Gauchão, foi mal contra o time reserva do Nacional-Uru na Arena e voltou a jogar muito pouco contra o Atlético-PR ontem. Se quisesse simplificar, diria que a saída de Luan, por lesão, deixou o time sem criatividade.

O Grêmio precisa inverter esse processo de atuações deficientes já na quarta-feira. Luan deve voltar. Não é tudo, mas ajuda bastante. O time sem ele está previsível, pouco criativo. O jogo contra o San Lorenzo será em Buenos Aires e decisivo. É preciso reencontrar o futebol já apresentado nesta Libertadores.

Críticas

Abel Braga criticou seu time depois do 1 a 0 no Vitória-Ba, sábado. Concordo com o Abelão. O melhor de tudo foi o resultado. O time foi previsível, seus grandes jogadores, afora Aránguiz, foram facilmente marcados. A produção foi muito menor do que a potencialidade do time.

O Inter pode mais, e o técnico sabe disso. Esteve longe do grande futebol apresentado nos Gre-Nais. Como o Inter tem pretensões de chegar ao topo do Brasileirão, terá que jogar mais do que no sábado. Não gostei do futebol apresentado, mas devo saudar o resultado.

É demais

Os dirigentes do Inter chegaram a falar em 50 mil torcedores. Não deu a metade. Muito pelo feriadão e pelos milhares de torcedores que deixaram a cidade. Mas tem a questão do preço. O ingresso de R$ 80 (ou R$ 40 para sócios, que ainda pagam suas mensalidades) está fora da realidade dos torcedores. Cobrando menos – talvez a metade -, o Inter terá mais associados e mais público nos jogos. O estádio é grande e pode receber milhares de torcedores a mais. Desde que esses possam pagar.