Linha atacante do Rafa

Leia o post original por Mauro Beting

Rafa é palmeirense. Logo, campeão.

Se não fosse alviverde como o pai e o avô materno, claro que também seria campeão. Quem torce, logo, ama, sabe do que estou falando. Triste são os alegres que apenas contam vitórias e cantam títulos. Felizes são os amargurados que sabem como é bom compartilhar a dor. Como faz bem curtir o fracasso.

Rafa lutou bravamente contra doença brava. Ganhou de goleada. Mesmo quando muitos acharam que seu time só perdia. Só caía. Só estava ainda mais só quando derrubado pra segunda.

Rafa viu tudo isso. E enxergou muito mais no hospital quando tudo que era vitória dele virava sucesso do Palmeiras. Até quando alguns palmeirenses deram mãos e espaço a ele na Academia. Quando ele podia sair do tratamento hospitalar para ganhar mais vida com mais Palmeiras.

Rafa venceu mais uma etapa. Não sei de qual dos tantos campeonatos que tão bem disputou. Só sei que a vitória do Rafa é definitiva. É algo que o futebol nos ensina. Não tem derrota definitiva. Mas tem vitória eterna.

Para o Rafa filho do meu amigo Sérgio que definitivamente abriu a mão, essa vitória é mais um 12 de junho de 1993. É mais uma daquelas para a gente contar aos netos. Como posso contar ao meu amigo Altit que o Rafa é como o nosso time. Campeão. Vencedor. Eterno. Definitivo