Grêmio volta a jogar mal e perde do San Lorenzo; pressão pela queda de Enderson Moreira vai aumentar

Leia o post original por Vitor Birner

De Vitor Birner

San Lorenzo 1×0 Grêmio

O Grêmio voltou a jogar mal.

Até poderia ser elogiado pelo desempenho do seu sistema defensivo caso não houvesse o erro coletivo, de atenção, no lance do gol que deu a vitória ao mediano San Lorenzo.

Até a imprensa ‘hermana’, inclusive a parte ufanistas, durante a semana, falou a respeito da superioridade do Imortal Tricolor.

Ela tem como referência o futebol do time gaúcho na fase de grupos da Libertadores.

Se ele reaparecer no confronto de Porto Alegre, a chance de os comandados de Enderson Moreira se classificarem será muito grande.

Resta saber como será o ambiente até a próxima quarta-feira, dia do confronto de volta.

Há quem defenda a demissão do treinador.

Eu discordo.

Tal medida, hoje, será um ato impulsivo, populista e errado.

Defensivo

Enderson Moreira escalou o Grêmio no 4-1-4-1.

Edinho atuou entre as linhas de quatro.

A mais recuada contou com Pará Léo Gago, improvisado, nas laterais, além dos zagueiros Geromel e Werley.

A do meio foi formada por Riveros, Ramiro, Zé Roberto e Dudu, da direita para a esquerda, na respectiva ordem.

A postura, não o posicionamento defensivo, gremista foi defensiva.

Talvez porque o time perdeu as finais do estadual para o Internacional e a estreia no Brasileirão contra o Atlético PR, e começaram as especulações sobre a possibilidade da queda do treinador, o comandante tenha optado por não correr riscos diante de um time limitado.

O San Lorenzo, no ‘ Torneo Clausura’, em 15 jogos fez 15 gols e sofreu 14 após vencer 6 vezes, empatar 5 e perder 4.

Na Libertadores, em 6 partidas balançou as redes 6 vezes e foi buscar a bola no fundo dela em 5 oportunidades.

Dessa meia dúzia de gols, 3 foram na última partida contra o Botafogo, o último aos 44 minutos do segundo tempo e que o classificou e eliminou o Independiente Del Vale, no saldo de gols,

‘El Santo’ merecia respeito, ainda mais diante de sua ‘hinchada’, mas tinha que ser pressionado.

A postura defensiva gremista impediu isso no começo da partida.

Andamento

Buffarini e Más, laterais do San Lorenzo, avançam bastante.

Enderson Moreira pediu para o time iniciar a marcação no meio de campo e orientou respectivamente Dudu e Riveros a acompanhá-los sempre.

Eu concordaria com isso se o trabalho defensivo gremista começasse na saída de bola do adversário.

Mas a equipe iniciou as tentativas de recuperar a redonda na linha que divide o gramado.

Por isso, quando Dudu, o melhor nos dribles, recebia a bola para puxar o contra-ataque, ele estava atrás do meio de campo e muito longe de Barcos; precisava driblar ao menos dois marcadores para chegar perto da área.

Como o San Lorenzo parou no sistema defensivo do Grêmio, os goleiros tiveram vida mansa no 1° tempo.

Piatti, o badalado meia, foi anulado. O centroavante Mattos ficou isolado.

Apenas em algumas falhas do Léo Gago diante de Villalba, e do estabanado e guerreiro zagueiro Geromel, o San Lorenzo ameaçou fazer algo interessante.

O Grêmio, quando restavam cerca de 10 minutos para o intervalo, adiantou a marcação e passou a jogar um pouco melhor que o time de Boedo.

Parecido

Se os boleiros do Grêmio ficassem um pouco mais próximos uns dos outros, as chances de conseguirem uma tabela era boa.

Havia espaço para tal e o time de Enderson Moreira ditava o ritmo do jogo.

Como não fez isso, ficou dependente de cutes de média e longa distâncias, e de cruzamentos.

San Lorenzo aproveita desatenção e faz o gol

Após o período de descanso, o jogo continuou na mesma toada.

‘El Santo’ era inofensivo quando fez 1×0, aos 7 minutos.

Precisou de muitos erros do sistema defensivo gremista para balançar a rede.

Villalba recebeu a bola na cobrança de lateral e Léo Gago estava distante. Ele aproveitou e tocou para o meio, na entrada da área.

Correira recebeu o passe com muita liberdade para quem estava na entrada área.

Geromel deu espaço para ele girar e chutar.

O arremate não era fácil de ser defendido, mas a bola passou por baixo de Marcelo Grohe.

Foi para cima

Aos 12, Enderson Moreira mudou o jeito de o Grêmio atuar.

Trocou Ramiro por Luan. O substituto formou  linha de três com Riveros e Dudu pelos lados, todos mais adiantados.

Zé Roberto também tinha liberdade para criar e Pará de apoiar.

Edgardo Bauza, minutos depois, reforçou o meio colocando o Konnemann, que atua na lateral ou na zaga, no lugar do meia Piatti.

O reserva foi jogar na lateral; Más, que atuava na posição, ficou na frente dele ajudando os atletas do meio de campo na marcação e como opção de velocidade para os contra-ataques.

O time gaúcho deu espaços para isso.

Pouco 

A apresentação do Grêmio, na parte ofensiva, não foi boa.

Faltou atuarem mais próximos uns dos outros. Ficaram distantes demais e por isso erraram passes. Não conseguiram fazer as tabelas, apesar do San Lorenzo deixar lacunas.

Restaram os chutes de média e longa distâncias, e os os cruzamentos na área.

A melhor oportunidade de empatar aconteceu numa bobeira do goleiro Torrico.

Ele segurou a bola ao invés de chutá-la depois Buffarini tocá-la para ele. 

O árbitro, correto, soprou o tiro livre indireto e colocou a redonda na linha da entrada da pequena área.

Nem na hora de cobrá-la os gremistas se entenderam.

Dudu pisou nela e Barcos, mesmo muito perto do gol, chutou para longe.

Depois eles ficaram discutindo.

Justo

A arbitragem foi boa.

Não interferiu no resultado do jogo.

A vitória do San Lorenzo foi fruto apenas dos erros e acertos dos atletas em campo;

Não há nada a questionar sobre ela.

Resultado justo.

Indefinida

O Grêmio tem qualidade para se classificar atuando em casa, na próxima semana.

Precisa reencontrar o futebol da fase de grupos da Libertadores.

Se o fizer, vai passar, pois o único grande argentino que nunca venceu a competição, conta com uma equipe apenas mediana.

Mas caso repita as apresentações da partida de volta do Estadual, estreia no Brasileirão e desta, corre risco de ser eliminado.

Ficha do jogo

San Lorenzo – Torrico; Buffarini, Valdés, Gentiletti e Más; Mercier, Ortigoza, Villalba (Cavallaro) e Piatti (Kannemann); Correa (Elizari) e Matos
Técnico: Edgardo Bauza

Grêmio – Marcelo Grohe; Pará, Werley, Geromel e Léo Gago (Breno); Edinho; Ramiro (Luan), Riveros, Zé Roberto (Maxi Rodríguez) e Dudu; Barcos
Técnico: Enderson Moreira

Local – Estádio Nuevo Gasómetro
Árbitro – Enrique Osses (CHI)
Assistentes – Carlos Astroza (CHI) e Sergio Román (CHI)

Ao vivo

Comentei o jogo, ao vivo, no Placar UOL.

Se alguém quiser ler as opiniões emitidas na hora dos lances, eis o link.

http://n.placar.esporte.uol.com.br/futebol/libertadores/?id=2014/04/23/san-lorenzo-x-gremio