Novo empréstimo para arena aumenta atrito entre Andrés e direção corintiana

Leia o post original por Perrone

Neste sábado, o Conselho Deliberativo do Corinthians autorizou um novo empréstimo de até R$ 350 milhões para cobrir as despesas com a construção de seu estádio. A reunião agravou a crise entre Andrés Sanchez e a atual diretoria alvinegra.

O presidente do clube, Mário Gobbi,  só chegou à arena corintiana, local do encontro, depois que ele tinha acabado. E o diretor financeiro Raul Correa da Silva não apareceu. Andrés não perdoou. Discursou repudiando a ausência do diretor financeiro e de pessoas que antes se mostravam preocupadas com o empréstimo.

Raul e Gobbi fizeram questão de que a operação fosse avaliada pelos conselheiros, apesar de o estatuto não fazer essa exigência. Andrés queria que apenas o Cori, Conselho de Orientação, aprovasse o futuro empréstimo, como manda o estatuto.

Mas para Gobbi e Raul, o montante em questão exigia o aval dos conselheiros. Na reunião, porém, Andrés, responsável pelo estádio, minimizou a operação. Disse que o novo financiamento será em nome da Odebrecht, não do clube. Portanto, não existiria motivo para preocupação dos membros do conselho.

Dirigentes graúdos do Corinthians discordam do ex-presidente. Alegam que, mesmo com o financiamento em nome da construtora, por contrato o clube terá que pagar o empréstimo.  Assim, o assunto merece a atenção do conselho.

Para conselheiros que participaram da reunião, as ausências de Gobbi e Raul foram sinais de divergência entre eles e Andrés. Mas o presidente alegou que não chegou a tempo porque participou de uma missa celebrada pelo padre Marcelo Rossi no Parque São Jorge, fato que rendeu críticas ao cartola. Por sua vez, Raul afirmou a dirigentes do clube que não participou da reunião porque viajou a trabalho para o exterior. Andrés não fala com o blog, por isso pôde ser ouvido.

A aprovação do empréstimo aconteceu em clima de festa, com conselheiros encantados na nova arena e elogiando o churrasco oferecido a eles. Aliados de Andrés se vangloriavam de o Corinthians ter um estádio novinho em folha sem colocar a mão no bolso até agora. O argumento gera mais discordâncias entre “andresistas” e aliados de Gobbi, em guerra faz tempo. O discurso na cúpula alvinegra é de que afirmações como essa fazem com que o Corinthians seja alvo de comentários dos rivais sobre ter recebido a arena de presente, sendo que terá que pagar por ela.