Rigorosos? Os primeiros vermelhos!

Leia o post original por Gaciba

Pintaram as três primeiras expulsões do campeonato brasileiro da série A deste ano. Depois dos vermelhos não aparecem no ar durante a primeira rodada, nesta, eles surgiram duas vezes de forma direta e uma na segunda advertência.

Expulsões estão relacionadas como decisões capitais numa partida de futebol ao lado dos pênaltis e os impedimentos decisivos que validam ou anulam gols. Então vejamos os três primeiros atletas que não poderão jogar a terceira rodada da competição por cumprirem suspensão automática neste fim de semana.

1 – Léo Moura (Flamengo)

A expulsão do Flamenguista dividiu opiniões. A minha, conforme o vídeo, foi a de que houve um certo rigor do árbitro na punição. Neste tipo de entrada, onde o defensor dá um carrinho atrasado visando um ponto futuro, olhando a bola, creio que a ação das pernas deve ser levado em conta. Caso, após o carrinho, o atleta fizesse um segundo movimento dando um pontapé para impedir a passagem do adversário, ok. Mas, vejam que o lateral derruba o atacante com o a coxa/joelho. Talvez o árbitro, na velocidade normal do jogo tenha visto algo diferente do que vi, prova disso é que relata em sua súmula (escrita sem auxílio das imagens) que o carrinho em questão foi realizado por trás.

2 – Lucas (Botafogo)

Uma decisão confusa do árbitro. Sempre procuro ver o que o árbitro relata em seu relatório pois, é importante sabermos o real motivo de suas ações. Na súmula do jogo Lucas é expulso por “agarrar o adversário pelo pescoço”, ou seja, não foi a falta mas sim sua atitude depois dela. O que acho e preciso responder é que a atitude do atleta do Internacional após receber a falta com um famoso “soco rodado” do UFC era merecedora de ação mais incisiva. Lembro que a tentativa de dar um soco também é punida com cartão vermelho, mesmo que seja um ato instintivo. Aquele giro sem ver onde pega o soco me lembrou a cotovelada de Leonardo na copa de 1994 em Ramos dos EUA; para sorte de todos, essa passou no ar.

3 – Bressan (Grêmio)

 

Ser expulso por retardamento, não é normal. Na verdade o zagueiro Gremista poderia ter sido expulso anteriormente na falta que fez e recebeu cartão amarelo. Este sim um carrinho frontal, com a sola da chuteira que, para sorte de todos não atingiu em cheio o atacante adversário. Breesan “sentiu” que mandou mal e reagiu com um sinal de positivo aliviado ao ver a cor do cartão e um pronto pedido de desculpas ao adversário. Mesmo com a bola em disputa, atingindo-a ou não primeiro; esta entrada é para vermelho. Comparando interpretações, costumo dizer que uma entrada para amarelo sentimos na cabeça e a de vermelho direto na boca do estômago. Essa não senti na cabeça, a de Moura, sim! Qual a mais forte; esta ou a de Léo Moura? Veja o lance do primeiro amarelo de Breessan:

E aí, qual sua opinião? Debata com a gente, use seu espaço!