As quedas dos gênios

Leia o post original por flavioprado

AFP

AFP

Futebol é um esporte terrível. É o único onde nem sempre vence o melhor. É o único onde nem é preciso conhecer as regras, para se  jogar em alto nível. É o único onde o acaso pode resolver e deixar marcas eternas. Procuro estudar muito futebol. É o meu trabalho. Valem cursos, leituras e pesquisas. E nestes últimos anos li muito sobre José Mourinho e Pep Guardiola. Agora mesmo estou lendo Paradigma Guardiola e já li, algumas vezes, o,  Mourinho, porque tantas vitórias ? Não tenho dúvida que são dois dos maiores técnicos da histórias do futebol. Guardiola é o que traz mais DNA do maior de todos, o histórico Rinus Mitchels, da Laranja Mecânica de 1974. Pegou de Cruyff, de Van Gaal e Rijkaard as sementes, que implementou no mágico Barcelona dos últimos anos. Mourinho é um revolucionário. Seus métodos de treinamentos, únicos, revertem todas, ou quase todas, as ideias anteriores. Para mim, haverá um modelo de treinamento antes e depois de Mourinho. E sonhava ver um contra o outro na final da Champions League. Deu tudo ao contrário. Primeiro Guardiola e depois Mourinho, levaram banhos de bola de Carlo Ancellotti  e de Diego Simeone. Menores do que eles, pelo menos por enquanto, porém, que viveram momentos mágicos e classificaram-se sem discussão. É o encanto do mundo da bola. O momento pode ser algo definitivo. Talvez uma semana antes, ou depois e a história seria completamente outra. Até por essa razão, não dá para julgar o pontual. Tem que se analisar o conjunto da obra. Não é simples, mas me fascina. Continuarei lendo e aprendendo com Guardiola e Mourinho. Porém não perderei a final da Champions por nada. E nem vou me arriscar a dizer qual será o ganhador.