Convocado,Henrique chora e diz que pode jogar em três funções

Leia o post original por blogdoboleiro

Quando viu e ouviu o técnico Luiz Felipe Scolari anunciar o nome dele na lista dos 23 da Copa, Henrique chorou, gritou e comemorou como se tivesse marcado um gol. “Eu nem sei direito o que fiz. Caiu até lágrima”, disse ao Blog do Boleiro por telefone, em meio a uma festa em casa na cidade de Napóles, Itália.

Ex-zagueiro do Coritiba e do Palmeiras (“meu coração é palmeirense”, afirmou), Henrique ganhou a quarta vaga da defesa, que tinha Miranda (Atlético de Madrid), Réver (Atlético Mineiro) e Dedé (Cruzeiro). “A concorrência era muito dura”, afirmou.

Por isso, Henrique admite: não dormiu bem na última semana. Estava ansioso. Nesta quarta-feira, ele levou o amigo Jorginho, armador do Napoli, o empresário dele, Naor Malaquias), alguns familiares, a esposa Camila e os filhos do casal. A turma segurou o almoço para que o nervosismo não atrapalhasse a digestão. Convocado, o zagueiro comemorou com um churrasco.

Blog do Boleiro – Qual foi sua reação quando ouviu o Felipão dizendo seu nome?
Henrique –
Fiquei louco. Nem sei o que fiz. É uma felicidade tão imensa. Este é o dia mais importante da minha vida. Chorei. Caíram lágrimas, a gente comemorou como se fosse gol, minha esposa Camila, que estava mais nervosa do que eu, me abraçou. Você fica ali, naquela ansiedade, esperando ouvir seu nome e, quando ele saiu, a felicidade foi imensa.

A concorrência era grande.
Então, tinha muita gente de grande qualidade na disputa desta vaga na defesa. A concorrência era pesada. Eu nem estava dormindo direito nestes últimos dias. Pô, a gente decidiu o título da Copa da Itália e fomos campeões. Aí vinha a seleção, que está acima de tudo. No final, acho que esta é a semana mais feliz da minha vida.

Por que você acha que o Luiz Felipe Scolari escolheu você?
Um dos motivos que eu acho é que o Mundial é campeonato curto. Eu posso jogar de zagueiro, volante e, aqui no Napoli, estou atuando de lateral direito. Faz sete partidas que o treinador Rafa Benitez me colocou ali na direita da linha de quatro e tem gostado. Eu vou jogando, ajudando e o time foi vencendo…

Scolari disse que escolheu você porque confia e gosta do seu trabalho. Como é a relação que você tem com ele?
No Palmeiras, n[ós vivemos bons e maus momentos. Ganhamos a Copa do Brasil e depois fomos mal na Série A do Campeonato Brasileiro. O Felipão e o Murtosa (assistente técnico) sempre contaram com minha ajuda. Sempre me dediquei, conversei com eles. E o Felipão sempre foi um cara sincero com todos, mesmo nas horas ruins. Depois que saiu do Palmeiras só conversei com ele no ano passado quando fui convocado. Foi uma conversa boa, saudável.

O que você leva para a seleção? Vai para somar ou brigar para ser titular?
Estou aí para ajudar, meu pensamento é ser um cara positivo. E vou buscar meu espaço na seleção.