Conselheiro é ameaçado de expulsão por ofender presidente do Palmeiras

Leia o post original por Perrone

José Corona Neto, um dos principais críticos da atual diretoria do Palmeiras, está ameaçado de enfrentar um processo de expulsão do Conselho Deliberativo do clube por ter ofendido Paulo Nobre. As ofensas teriam sido feitas por meio de mensagem para o celular do presidente alviverde, ainda no início de sua gestão, em 2013.

Uma comissão de sindicância vai estudar o caso e emitir um parecer para o Conselho Deliberativo, que decidirá se pune o conselheiro com suspensão ou até expulsão.

Revoltado com a transferência de Barcos para o Grêmio, Corona, que votou em Nobre, disparou um torpedo com uma série de críticas ao dirigente. Acabou chamando o presidente de “bosta”.

“O que eu falei pra ele está confirmado. Essa comissão é formada por amigos do Paulo Nobre para tentar me calar, mas não vai conseguir. Quem decide é o Conselho e vou ganhar como quando passei por isso durante a gestão do Arnaldo Tirone. Essa comissão não tem moral para pedir a minha expulsão. E nem o Paulo Nobre. Ele ainda não explicou o quinto jogador que viria do Grêmio na negociação do Barcos e não veio. E as outras negociações que ele fez estão mal explicadas.  Por que ele tem moral, por avalizar dinheiro aqui [no clube]? Vou destruir o Paulo Nobre e os comediantes dele no Conselho. Ele, junto com [diretor executivo José Carlos] Brunoro e [o gerente de futebol Omar] Feitosa poderiam fazer stand up comedy, seria o show mais concorrido da história ”, disse Corona ao blog.

Gilberto Cipullo, ex-dirigente do clube e que deve presidir a comissão de sindicância, não respondeu ao e-mail enviado pelo blog. A assessoria de imprensa do Palmeiras informou que ninguém comentaria o assunto.