Governo Federal aparece em placa de obra que não ajudou a pagar em Itaquera

Leia o post original por Perrone

Logomarca do Governo Federal ao lado da marca da prefitura em placa sobre obras em Itaquera

Logomarca do Governo Federal ao lado da marca da prefeitura em placa sobre obras em Itaquera

Na última quinta, dia em que Dilma Rousseff visitou o estádio do Corinthians, a Prefeitura de São Paulo exibiu na região da arena um painel que detalhava obras de mobilidade urbana já feitas em Itaquera para a Copa. Ele trazia a logomarca do Governo Federal, além da marca da administração municipal. Mas a obra foi bancada apenas pelo município e pelo Governo do Estado, segundo site da Comitê Paulista para a Copa, vinculado à gestão estadual.

A ação desagradou membros do governo estadual, que não gostaram também de ver Dilma visitando trecho viário que foi reformado sem dinheiro federal. O material não afirma que o Governo Federal investiu nas obras. Porém, normalmente, essas placas trazem a marca dos órgãos públicos que custearam os projetos. No mesmo local, o Governo do Estado instalou um paindel sobre o projeto, mas colocou só o seu símbolo, o da Prefeitura e o da Dersa, empresa ligada ao Estado de São Paulo e que trabalhou nas obras.

Por sua vez, a assessoria de imprensa da prefeitura afirmou que o painel foi colocado numa área sem visibilidade pública. E retirado em seguida.

“A Prefeitura de São Paulo esclarece que foram afixados dois painéis ilustrativos no primeiro ponto da visita da presidenta Dilma Rousseff, próximo à tenda que estava na alça viária. Esses painéis foram utilizados para mostrar para a presidenta imagens aéreas das obras viárias e demais intervenções no entorno da arena. Esses painéis não foram colocados para divulgação externa e foram removidos depois da visita”, diz nota enviada pela assessoria de imprensa ao blog.

O site do Comitê Paulista para a Copa, vinculado à administração estadual, diz que “governo e prefeitura firmaram um convênio para executar obras viárias na região de Itaquera. São cinco obras, iniciadas em 2012 e com conclusão até abril de 2014, com custo total estimado em R$ 548,5 milhões, sendo R$ 397,9 milhões do Tesouro do Estado e R$ 150,6 milhões da Prefeitura de São Paulo. Estas obras são executadas com recursos próprios, sem financiamento do governo federal, e não utilizam o Regime Diferenciado de Contratação (RDC).”

A assessoria de imprensa da presidência não respondeu ao e-mail enviado ao blog até a publicação deste post.