QUE VOLTEMOS À NOSSA CASA

Leia o post original por K.O.N.G

Daniel é jornalista no interior mineiro. Atleticano como tantos milhões, tem o Galo como sua maior paixão. Siga no twitter: @danielmesende

***

Há muito se ouve que a torcida do Galo tem mudado sua maneira de agir nas arquibancadas. Uns batem na tecla de que o título da Libertadores fez com que parte da Massa ficasse acomodada, esquecendo de cobrar o time quando precisa.

Sabem aqueles casos familiares onde quem paga as contas é obrigado a trabalhar em outra cidade, fazendo a família ter que se mudar junto? É a mesma situação. Penso que a saída do Mineirão ajudou muito nesse cenário. Porém, seria falta de bom senso meu dizer que o time e pequena parte da torcida se adaptaram bem ao Horto. Não vou criticar o Independência de forma alguma, até porque não foi ele quem se ofereceu ao Galo. Mas essa mudança afastou, e muito, a torcida (leia-se povão). O torcedor que saía do interior levando a família para o estádio, com a confiança de que conseguiria ingresso para um grande jogo, até porque o Mineirão tem capacidade para mais de 60 mil, ia com o intuito de cantar o jogo inteiro e, principalmente, por um preço razoável, que equivale a praticamente um terço do que se gasta hoje para ir no Independência, que já dificulta sua ida por ser um estádio pequeno.

A torcida do Galo não mudou. Ela foi afastada das arquibancadas! Os torcedores que iam ao estádio para apoiar durante os noventa minutos e que fizeram a fama da Massa que rege até hoje, continuam com a mesma intenção: mesmo em casa, apoiam o time. Mas boa intenção não lota estádio. Os famosos geraldinos da era Mineirão não podem pagar R$100 por jogo. Aliás, a maioria dos torcedores que batiam cartão em todos os jogos, hoje não podem mais. Que a Copa inflacionou o futebol, todos sabem. Mas a diretoria precisa ter bom senso ás vezes. Já conseguiram transformar o clássico em jogo de uma só torcida. Agora, conseguiram que apenas 9 mil pessoas fossem a um Atlético x Cruzeiro. Pelo visto, a tendência é piorar.

O Mineirão é a nossa casa. Todos sabemos disso. O clube está deixando de ganhar dinheiro com programas de sócios e que poderiam ser implantados no Mineirão. Mas, pelo que parece, preferem aumentar a mensalidade de um programa que já não agrada, do que assumir um erro. Falta humildade para isso.

Voltemos para casa, Galo. Volte ao Mineirão!