Está na hora de um basta. É hora de mudar e salvar o Figueirense.

Leia o post original por diego simao

A notícia do dia é a dívida do Figueirense com o Fernandes. Com certeza a dívida não é pequena.

O maior ídolo da história do clube saiu enxotado. Salários não foram pagos e muito menos uma despedida foi feita. Coube aos torcedores homenagear Fernandes.

O “porém” da notícia é que essa dívida é dada como um agravamento da crise financeira do clube. Me desculpem, mas não posso concordar com essa afirmação.

A falta de pagamento e a óbvia derrota na justiça obrigando o pagamento apenas revela o real tamanho do buraco. Buraco que provavelmente é maior do que o apontado no último balanço do clube.

O Figueirense ainda vai sofrer novas derrotas na justiça e será obrigado a pagar ações para inúmeros jogadores que saíram do clube sem receber. E tem muita coisa antiga correndo na justiça.

A crise não é culpa do Fernandes ou de outros jogadores, a culpa (no meu entendimento) é de quem não planejou financeiramente o clube. Quem dirigiu o Figueirense e deixou de pagar tais obrigações é o verdadeiro vilão. Aliás, é quem, em minha visão, deveria ser cobrado e expulso por depredar o patrimônio do clube. O Estatuto, inclusive, deveria ser muito severo nessa situação.

Só para comparar. Tem gente que reclama quando alguém picha o muro do Figueirense. Não está correto, eu concordo, pichar acarreta prejuízo (de uma ou duas latas de tinta) ao clube. Mas para termos noção de representatividade, de importância, quem prejudica mais: o que picha (uns 80 reais) ou quem joga o clube no abismo de dívidas (dezenas de milhões) que nos encontramos hoje.

Existem ainda os corajosos que bradam: “mas o Flamengo é assim e é o maior do Brasil” ou “o Fluminense faz pior e é líder”. É tipo um marmanjo se cagar nas calças e falar: “o nenê anda cagado e todo mundo ama”. Para quem ainda é teimoso, recomendo a leitura do texto de meu amigo Ian Pacheco (entre aqui) sobre esse tipo de argumento.

Ou seja, o que não pode ocorrer é inverter valores. Não podemos no Figueirense defender uma prática de dever salário e ficar com fama ruim. Isso acaba com o clube.

O Figueirense está praticamente na beira do abismo. Este ano reflete bem essa situação. Logo em ano de série A (quando deveria ter mais dinheiro), o alvinegro parece um time de série D diante tais restrições orçamentarias. Sim, tudo culpa dessa dívida que não para de crescer. O problema nesse momento não é nem cair para série B, o complicado é recuperar financeiramente o clube.

Está na hora de um basta. É hora de mudar e salvar o Figueirense.

Abraço do Tainha