Palmeiras mostra falhas, mas goleia e segue firme na Copa do Brasil

Leia o post original por Flavio Canuto


Quem não viu o jogo e acompanha hoje apenas os melhores momentos ou mesmo o placar, pensa que o jogo foi uma moleza, uma tranquilidade só. Nada disso.

Depois de um péssimo e angustiante primeiro tempo, o Palmeiras goleou o Sampaio Corrêa por 3 a 0, no Pacaembu.

Com Mendieta no lugar de Valdívia, o Palmeiras desde o início teve mais posse de bola, mas não sabia o que fazer com ela, exagerando na tentativa de jogadas pelo meio da defesa adversária, que estava bem fechada.

O técnico deles montou o time com duas linhas de quatro e apostava nos contra-ataques para complicar a vida do Palmeiras. Eles até conseguiram encaixar alguns, graças a falta de marcação do nosso meio-campo e, principalmente, a lentidão do nosso sistema defensivo atual.

Até quando o Marcelo Oliveira vai continuar jogando como zagueiro ao lado do Lúcio? O lugar dele é no meio-campo. Isso tá cada vez mais complicado.

Logo aos 8 minutos, Arlindo Maracanã chutou, mas fraquinho. Aos 9 minutos, a coisa ficou mais feia quando William Paulista entrou livre na área. Sorte que o goleiro Fábio saiu bem do gol e conseguiu evitar a evolução do adversário. Aos 11 minutos, outra boa defesa, desta vez em chute de William Matheus.

Nosso primeiro chute ao gol saiu também aos 11 minutos, em falta cobrada por William Matheus sem muito perigo. Logo a seguir, no entanto, William Correa por pouco não abre o marcador, exigindo boa defesa de Fábio.


A partir daí, o desenho da partida se manteve, com o Palmeiras dominando a bola, sem criar nada, e por sua vez o Sampaio Corrêa passando a errar todos os contra-ataques que iniciava.

Senhores, Mendieta até é bom jogador mas não está pronto para fazer o mesmo papel de Valdívia. O chileno, que ninguém sabe se volta ao Palmeiras, deixa os atacantes na cara do gol o tempo todo. A bola até chegava até Mendieta, mas parava por ali mesmo.

Cabe ao Wesley fazer esse papel também, mas ele, assim como toda a equipe, estava muito mal no primeiro tempo.

Para provar que a nossa fase realmente não é das melhores. Aos 41 minutos, Henrique fez grande jogada e chutou forte, com a bola batendo do lado de dentro da trave (se é que isso existe) e passando pela linha de gol até sair do outro lado.

Esta foi, de longe, a melhor oportunidade alviverde na primeira etapa.

Ainda deu tempo para que o cada vez mais apagado Leandro desse duas cotoveladas em jogadores adversários. Como o árbitro estava deixando o time adversário bater a vontade, ele pegou leve e deu apenas um cartão amarelo ao acomodado atacante.

Se for revidar alguma coisa, Leandro, faça com discrição. Até isso está difícil pra você depois da renovação de contrato?

O segundo tempo começou preocupante, com Fábio mais uma vez garantindo o empate, em chute de Arlindo Maracanã aos 6 minutos. Aos poucos, o Verdão passou a pressionar o adversário com chutes de longa distância de Mendieta e Wesley.

Apesar disso, o jogo só mudou mesmo quando Alberto Valentim sacou Leandro, aos 14 minutos, dando lugar ao rápido Marquinhos Gabriel.

O ex-jogador do Bahia botou fogo no jogo, caindo pelo lado esquerdo, atraindo a marcação e finalmente liberando espaço no meio. Tivemos boas chances aos 15, 17 e 19 minutos, sendo esta última mais uma bola na trave. Parecia até que o gol não sairia nunca.

Aos 20 minutos, no entanto, não teve erro. Mendieta aproveitou a oportunidade e abriu o marcador. 1×0.

Sem deixar a peteca ir ao chão, o Verdão continuou pressionando e criando chances importantes, enquanto o Sampaio Corrêa só chegou com perigo aos 35 minutos, quando William Paulista chutou forte e exigiu outra belíssima defesa de Fábio. A classificação parecia garantida.

Garanto que boa parte da torcida se arrepiou quando foram anunciados cinco minutos a mais de jogo. Mas quem se deu bem com esse tempo todo a mais foi exatamente o Verdão. O “matador” Henrique fez o seu quarto gol em quatro jogos no Palmeiras aos 45 minutos, após receber um lindo passe de Marquinhos Gabriel. 2×0.

Felipe “Oxigênio” Menezes, que havia entrado há pouco na vaga de Mendieta, recebeu uma assistência impecável de Wesley e fuzilou o goleiro, sacramentando o placar de 3 a 0 e a classificação alviverde para a terceira fase da Copa do Brasil, para enfrentar o Avai, que eliminou o glorioso Asa de Arapiraca.

Uma ótima vitória, mas que expôs mais uma vez as deficiências dessa equipe que ainda pode fazer um bom papel na temporada caso receba bons reforços e tenha logo um “comandante”. Acorda diretoria!!!

Você também pode me seguir no Twitter ou  Facebook!

Abraço a todos!