O lugar de Marcelo Grohe é na Seleção Brasileira

Leia o post original por Pedro Ernesto

O grande lançamento de Werley e o gol bem marcado por Rodriguinho não são suficientes para contar como foi a grande vitória de ontem do Grêmio contra o Fluminense. Do outro lado, o time teve defesas espantosamente qualificadas de Marcelo Grohe.

Mais uma vez, o goleiro foi o grande nome do Grêmio. No lance em que Fred cabeceou, ele lembrou o inglês Gordan Banks, naquela inesquecível defesa na cabeceada de Pelé, na Copa do Mundo de 1970. Grohe Fez ainda mais duas defesas magníficas em chutes de Rafael Sóbis.

E eu fico lembrando que o goleiro escolhido para titular da Seleção Brasileira é Júlio César. Ouso afirmar que Marcelo Grohe, neste momento, está jogando muito mais. No Grêmio ele é, disparado, o melhor jogador do time.

Preocupante

Cada vez que vejo o atacante Fred jogar, aumenta o meu grau de preocupação com sua participação na Copa do Mundo como titular absoluto da Seleção Brasileira. Parece fora de forma, desembocado, muito distante do jogador brilhante que já foi no Cruzeiro e na Seleção. Pior do que isso é que seu reserva não chega a ser melhor.

E no jogo de ontem, Fred ainda se mostrou nervoso e provocou uma expulsão boba, prejudicando frontalmente o seu time que saiu derrotado.

Sem forças 

Os auxiliares dos treinadores montam relatórios que apontam erros e acertos de passe, posse de bola, chutes, escanteios e sei lá o que mais. Quase tudo inútil. Para provar isso, basta lembrar o jogo do Inter, ontem, no Heriberto Hülse. Foram 76% de posse de bola do Colorado e um monumento de
inoperância.

E isso que o pobre Criciúma, de fraca campanha, ficou com dez homens em campo todo segundo tempo. Continua líder isolado mas deveria ter trazido três pontos. Até D’Alessandro jogou muito mal.

É demais!

O Corinthians lotou sua nova Arena, que vai ser palco da abertura da Copa do Mundo, e deu um grande vexame. Perdeu para o modesto Figueirense por 1 a 0, decepcionando sua fiel torcida. Não dá para prever nada neste Brasileirão. Quando se espera alguma coisa, dali é que não sai nada. Não
existe o grande time como foi o Cruzeiro do ano passado.