Chefe de delegação ganha missão de blindar seleção de oba-oba

Leia o post original por Perrone

Vilson Ribeiro de Andrade, chefe da delegação da seleção brasileira e presidente do Coritiba, foi escalado pela cúpula da CBF para ajudar Felipão a combater um de seus maiores temores: o oba-oba em volta dos jogadores.

O treinador quer evitar o assédio de políticos em busca de holofotes em ano eleitoral e até visitas de familiares fora de hora. Por isso, a ideia é que Vilson faça esse bloqueio. Ele está orientado a impedir o acesso à delegação e a receber os figurões que queiram contato com os jogadores, mas longe do ambiente da seleção. O problema é que, mesmo alinhada com o pensamento de Felipão, a CBF toma atitudes que colocam em risco essa blindagem, como convidar presidentes de federações para assistir a estreia do Brasil contra a Croácia, dia 12 de junho. Devem chover pedidos de cartolas para sessões de fotos e autógrafos com os atletas.

Além disso, a CBF está em campanha contra projeto do deputado Otávio Leite (PSDB-RJ) que prevê um imposto sobre receitas da confederação para serem usadas na formação de atletas em escolas públicas. Por isso, não pode correr o risco de ser antipática com congressistas. Andrade é justamente o cartola que lidera a defesa dos interesses dos clubes no Congresso Nacional.