Discreta, psicóloga da seleção busca líderes para Felipão

Leia o post original por blogdoboleiro

Primeiro, a avaliação física e, em seguida, a psicológica. A psicóloga da seleção brasileira, Regina Brandão, deve começar o trabalho com os jogadores a partir desta quarta-feira. Ainda em São Paulo, ela prefere manter silêncio sobre o que vai fazer com os atletas na última fase de preparação para a Copa do Mundo. “Não posso falar nada até que comece o trabalho com os atletas”, disse ao Blog do Boleiro.

Parceira de trabalho do técnico Luiz Felipe Scolari desde 1993, Regina terá a missão de apresentar ao treinador uma análise com o perfil de cada atleta dos 23 que vão trabalhar na Granja Comary, em Teresópolis (RJ). “Sabendo como eles se comportam, podemos saber como cada um deve ser tratado”, disse Felipão quando anunciou a presença da psicóloga na comissão técnica.

Ela já orientou Scolari na Copa do Mundo de 2002. Sugeriu que o treinador tivesse mais de um capitão dentro de campo. O escolhido antes da estreia no Mundial da Ásia, era o volante Emerson. Mas ele se machucou num trino recreativo e foi cortado. A tarja passou para Cafu e o técnico cobrou comando de Roberto Carlos, Roque Jr. Ronaldo e Rivaldo, cada um com um jeito diferente de liderar. Fez o mesmo na preparação de Portugal para a Copa de 2006, na Alemanha.

Agora, um dos objetivos é o indicar quem pode ajudar Thiago Silva (capitão) dentro dos jogos e até nos treinamentos. Na verdade, Regina já conhece vários atletas do grupo do Mundial. Vai trabalhar com cada um e buscar, dentro dos diferentes perfis, desenhar um comportamento de grupo que seja unido e funcione no coletivo.