Seleção troca cara amarrada de 2010 por marketing

Leia o post original por Perrone

Acenos de Felipão (e protestos contra Copa)

Veja Álbum de fotos

A seleção brasileira trocou a clausura e a cara amarrada de 2010 pelo marketing na preparação para a Copa de 2014. No mundial da África do Sul, a blindagem dos jogadores imposta por Dunga incomodou patrocinadores, que tinham poucas chances de exibir suas marcas nos treinos fechados para a imprensa. Agora, nas primeiras horas de trabalho na Granja Comary, eles foram brindados com a oportunidade de se aproximar dos atletas.

Os parceiros da CBF ficaram encantados com a naturalidade que dizem ter sido demonstrada pelos atletas de Felipão nesta segunda, durante encontro com representantes das empresas que apoiam a Confederação Brasileira de Futebol. “Os jogadores chegaram todos juntos, foram aplaudidos e rapidamente se misturaram a nós. Estavam bem acessíveis”, disse ao blog Tiago Pinto, diretor de marketing da Gatorade.

Por cerca de 30 minutos, os atletas bateram papo, deram autógrafos e tiraram fotos com os parceiros da confederação, algo impensável na era Dunga.

Mas o contato com os jogadores não será constante durante o Mundial. Os parceiros foram avisados pela CBF de que não devem ter mais acesso a eles até o fim da Copa. Porém, os patrocinadores continuarão divulgando seus produtos numa sala na Granja Comary frequentada por jornalistas.

A atenção dispensada pelos atletas aos patrocinadores não foi a única grande diferença em relação ao Mundial anterior. O relacionamento com a Globo também mudou. Isso ficou claro logo de cara, com a primeira aparição de Felipão no gramado de Teresópolis culminando com uma participação de pelo menos 20 minutos no programa apresentado por Fátima Bernardes. Dunga vivia às turras com toda a imprensa, inclusive com a Globo.

Marketing até no avião da seleção

Veja Álbum de fotos