Um problema de princípio

Leia o post original por diego simao

A vitória sobre o Corinthians serviu como morfina para torcida. O time tinha esperança que o time havia acordado para competição. Mas já acabou.

Enfrentaremos amanhã o Flamengo, mas novamente, todas as dúvidas e medos se repetem.

O elenco, pelo menos, parece começar a se comover com a situação. Mesmo assim, assistindo a entrevista coletiva de Marquinhos, pareceu que os jogadores estão preocupados mais com a vergonha que eles estão passando, do que algum senso de responsabilidade com o clube.

E não se espera muito mais do que isso. É o tal do profissionalismo, é o tal de empresários no futebol e quase nada de formação de atletas de base. Aliás, atletas de base que mais sonham em sair do Figueirense do que em ficar. No longo prazo iria acabar nisso.

Quanto ao time, pouco a falar. São sempre tantas desculpas, tantas mudanças, que você simplesmente se sente perdido diante esse turbilhão de problemas que é o Figueirense atualmente.

Não dá para continuar assim, mas ao mesmo tempo, não vejo mudança no curto prazo. A verdade é que temos de rezar para esse elenco se sentir mesmo envergonhado e colocar mais vontade em campo e não passar pela série A com 1 gol em sete rodadas. É simplesmente ridículo.

E o problema todo não é dinheiro, é uma questão de princípios do clube que se perdeu a muito tempo. Ok, clube tem que tem de ter dinheiro, tem que ser profissional, mas precisa antes de tudo, de alma. Algo que vem se perdendo desde a entrada de Prisco Paraíso no clube.

Não acredito, porém, que tudo isso que passamos é ruim. Foi uma fase necessária para entender que caminho tomar. Esse ano, em si, demonstrou que temos que repensar o clube, mas principalmente em seus princípios.

Abraço do Tainha