Mão na bola ou bola na mão??? O lance mais complicado do futebol não é o impedimento, mas a regra que permite diferentes interpretações e causa inúmeros erros de arbitragem!!!

Leia o post original por Milton Neves

gol_de_mao

Impedimento que nada…

A regra mais difícil do futebol é a bola na mão.

Ou a mão na bola.

No livro de arbitragem, a regra XII, sobre infrações, diz:

– Tocar a bola com as mãos intencionalmente (exceto o goleiro dentro da sua própria área penal)

Ou seja, bem explícito.

Porém, a sequência torna-se nebulosa.

A intenção fica aberta à interpretação do juiz.

Ganhando diversas condições ambíguas.

– Toca deliberada e acintosamente a bola com a mão para impedir que um adversário a receba (falta que impede a formação de um ataque promissor adversário). Caso o atleta já tenha cartão amarelo, receberá a segunda advertência com consequente expulsão.

Mas até que ponto o atleta teve intenção?

Como analisar algo intangível?

E o árbitro deve considerar as seguintes observações:

– O movimento da mão em direção a bola (e não da bola em direção a mão);

– A distância entre o adversário e a bola (bola que chega de forma inesperada);

– Ainda, lembra que a posição da mão não pressupões necessariamente uma infração (deve-se analisar se o movimento ou a posição dos braços são naturais, forçados pelo deslocamento no campo de jogo ou se ali estão em uma ação de defesa);

– Finalizando informa que tocar ou lançar um objeto que está em suas mãoes (uma caneleira, por exemplo) também é infração.

Ou seja, é a regra mais complexa e nem sempre é culpa da arbitragem.

A simplificação dos termos não ajudaria a resolver problemas como no gol de Luis Fabiano, ontem, diante do Furacão?

OPINE!!!