Problemas do Grêmio estão no ataque

Leia o post original por Pedro Ernesto

Três chutes de fora da área de Alán Ruiz no jogo contra o Sport. Não me recordo de mais nada ofensivamente do time do Grêmio naquela noite. O diretor executivo Rui Costa garante estar atrás de reforços. Eles têm de chegar para o sistema ofensivo.

Não será a recuperação clínica de Kleber que resolverá, já que no ano passado virou um turno inteiro do Brasileirão sem marcar gols. O Grêmio precisa mais se quiser ter algum sucesso ainda ainda neste ano. Os problemas mais graves da equipe de Enderson Moreira estão no ataque.

Números

Por pontos ganhos, o Inter está somente um atrás do líder Cruzeiro. Uma situação confortável. O Grêmio está a apenas dois de diferença e tambem numa situação boa. O problema é que nenhum dos nossos dois grandes times apresenta desempenho qualificado. O Inter enfrentou uma semana de lesões por atacado. Jogou quatro partidas. Perdeu uma, empatou duas e venceu somente uma.

O Grêmio saiu de casa e trouxe só um dos dos seis pontos que disputou. Também é pouco. Não adianta reclamar das ausências porque todos os times as têm. O que falta aos técnicos da Dupla é fazer os times jogarem mais com o que tem.

Claro que o problema do Inter foi mais grave. Mas não explica tudo. Os torcedores, apesar de boas colocações, estão um pouco decepcionados. Queriam mais. Pode ser que a parada para a Copa mude o desempenho para melhor.

D’Alessandro

Se você ouve a entrevista do argentino após a vitória sobre a Chapecoense, mesmo que não tenha visto o jogo, logo se dá conta se jogou bem ou mal. Quando vai bem, discorre sobre a força do grupo, se autopromove, tem paciência com os repórteres e não acha nenhuma pergunta desqualificada.

Mas se não jogou nada, bate-boca com repórteres, desqualifica as perguntas, se irrita com facilidade. D’Ale já apreendeu a administrar seus fracassos. Mas tem algo notável: não se esconde e assume sua posição de capitão.

É demaaaiiis!

A pesquisa da empresa Segmento para a revista Amanhã busca saber as marcas mais lembradas do Estado. Nela, fui contemplado, outra vez, como narrador esportivo de rádio mais lembrado. Confesso a satisfação e o orgulho e agradeço aos gaúchos, que me deram larga vantagem sobre os demais. Agradeço também aos colegas da Rádio Gaúcha, que me emprestam seus talentos.