Inter não poder errar na marcação diante do Flu

Leia o post original por Pedro Ernesto

O Palmeiras não faz uma boa campanha no Brasileirão. Assim sendo, tendo o mando do jogo, poderia se prever algum favoritismo do Grêmio. Só que os gremistas estão assustados, entendendo que o time precisa jogar mais. Também acho, mas não vai jogar muito mais com esses jogadores.

Não entro nesta de que, colocando os pagamentos em dia, os jogadores devem atuar melhor. Isso foi o que deixou dirigentes do Grêmio indignados no meio da semana. Existem fragilidades no time e existe uma alternância no esquema de jogo que pouco contribui. Os dirigentes precisam ir às compras, e o treinador redefinir uma forma de jogar. Mas antes seria muito bom ganhar do Palmeiras e ir para a parada da Copa com conforto na tabela.

Fluminense

A parada para o Inter não é proibitiva. Mas pode ser considerada indigesta. Macaé é a cidade do jogo pelo fato de o Maracanã estar cedido para a Copa do Mundo. Abel Braga tem o importante retorno de Alan Patrick. Com ele, volta um pouco da qualidade que o meio campo tinha perdido. O problema colorado para este jogo é acertar a marcação. O Flu tem jogadores habilidosos e perigosos. Não dá para errar perto deles. Marcar forte, encurtar o campo, não permitir triangulações são algumas receitas que devem interessar muito ao Inter.

Mazembe

A graça do futebol está nas brincadeiras. O torcedor se diverte batendo no ponto fraco do adversário. Os gremistas adoram lembrar o Mazembe. Os colorados inflam o peito lembrando que nunca foram parar na segunda divisão. Agora, tem essa do viaduto que está pronto, perto do Beira Rio. Ele é lindo, estaiado, importantíssimo para o tráfego da Zona Sul. Mas seu projetista fez aparecer uma enorme letra M. O viaduto foi apelidado de Mazembe. Bastou para os gremistas se deitarem. Os colorados respondem que o M é do magrão Fortunati. Esse assunto vai durar anos a fio.

É demais

Fui convocado pelo editor de Esportes do Diário Gaúcho, Leonardo Oliveira, para fazer quase uma página diária de coluna durante os 30 dias da Copa do Mundo. Quero ir além do futebol. Mostrar ganhos e perdas do Brasil em relação à Copa do Mundo. Falar das manifestações se elas ocorrerem, trazer o olhar dos estrangeiros sobre o Brasil etc. Estou muito feliz com essa oportunidade e espero que os leitores do DG possam se deliciar lendo minha coluna.