Primeiros treinos contradizem Felipão sobre blindagem

Leia o post original por Perrone

Ao convocar a seleção brasileira para a Copa do Mundo, Felipão demonstrou preocupação em blindar seus jogadores. Não queria entra e sai na Granja Comary. Faria convites na hora certa. Ficou claro o combate ao oba-oba.

Mas, os primeiros treinos da seleção em Teresópolis contradizem o discurso do treinador. Logo no dia da apresentação, os jogadores passaram cerca de 30 minutos com patrocinadores da CBF.

Na última quinta, depois de se aquecerem, os atletas tiveram o treino interrompido. Formaram uma roda e participaram de uma gravação do programa de Luciano Hulk, que levou um jovem deficiente numa cadeira de rodas.

Depois do treinamento, a porta do prédio em que fica a academia, além de outras dependências exclusivas da delegação, se abriu para Hulk e seus dois filhos. Caiu a imagem de uma fortaleza impenetrável.

Nesta sexta, 30 convidados de patrocinadores assistiram ao treinamento da tarde na lateral de um dos gramados e tiveram acesso a jogadores. “Pegamos autógrafos e desejamos boa sorte a eles. Dissemos que independentemente das manifestações [contra a Copa] gostamos de futebol”, contou o torcedor Luiz Carlos Manso, escolhido na promoção de um dos patrocinadores da seleção. Neste sábado, mais 30 convidados de parceiros da confederação vão acompanhar o treino.

Ou seja, pelo menos o início da preparação é bem diferente daquele clima livre de badalações pintado por Felipão no anúncio dos convocados.