Será que o Fenwick inspirou a mano de Maradona em 1986?

Leia o post original por Mauro Beting

 

22 de junho de 1986. Estádio Azteca, na cidade do México. Argentina 0 x 0 Inglaterra. Quartas-de-final da Copa do Mundo.

Para os ingleses, um jogo em busca do bi mundial. Oficialmente, para os hermanos, a mesma coisa. Mas Maradona resume melhor:

– Era mais que a final da Copa. Não pensávamos em ganhar de um time de futebol, mas de um país. Era uma revanche. Queríamos culpar os jogadores deles pelas Malvinas.

Diego expressava a dor pela morte de 649 argentinos quatro anos antes, em estúpida batalha pelas Ilhas Falklands para os ingleses, Malvinas para os argentinos. Quando a sanguinária ditadura argentina matou outros inocentes. Milicos que pagaram mico em 1982 e perderam o poder em 1983.

Aos 3 minutos do segundo tempo de um jogo mais marcado que jogado até então, a bola espirrou alta na intermediária. Maradona subiu para tentar cabecear e puxar o contragolpe. Mais alto que Diego, o zagueiro Fenwick chegou tarde. Por instinto, ergueu o punho direito e tentou socar a bola. Errou, e perdeu a dividida vencida de cabeça pelo baixinho Maradona.

Dois minutos depois, Diego passou por três rivais e procurou o companheiro Valdano. Sanson deu um bico na bola que subiu. O goleiro inglês Shilton subiu para defender. Do baixo de seu 1m66, Maradona só tinha um jeito de ganhar o lance.

Dando o mesmo soco que Fenwick tinha dado dois minutos antes – e errara.

Desta vez, Diego acertou. Socou a bola, venceu Shilton, e a bola entrou.

La Mano de Dios.

Teria sido inspirada no lance dois minutos antes?

 

Veja a sequência toda, a partir de 50min49s