Meu Brasil de Copas. Lateral-direito

Leia o post original por Mauro Beting

Desde 1970, nenhum lateral foi tão importante quanto o capitão Carlos Alberto Torres.

Nenhum fez gol tão lindo como o quarto contra a Itália – não há gol mais lindo em lance coletivo que aquele.

Mas o Leandro de 1982 jogava o fino… Cafu, o capitão de 2002, é quem mais jogou pela camisa mais campeã…

Páreo duríssimo!

Nelinho foi um excepcional lateral. O chute mais impressionante que vi. Zé Maria era um avião pela direita. Toninho Baiano, como lateral e mesmo ponta, fez boa Copa em 1978.

Edson Abobrão se lesionou em 1986. Josimar entrou e fez dois golaços memoráveis. Só jogou toda aquela bola na Copa no México.

Como ala, em 1990, Jorginho não foi tão eficiente como seria em 1994. Cafu mandou muito bem em 1998. Ainda melhor como ala em 2002. Nem tanto em 2006.

Em 2010, Maicon fez o primeiro gol do Brasil e fez boa Copa.

Mas ninguém foi tanto quanto Carlos Alberto em 1970. Em 1974, lesionado, não foi. Em 1966, injustiça, também não.

Fico com Carlos Alberto.